Um dos grandes ensinamentos que a série de livros de Robert Kiyosaki tem a nos mostrar é a forma que os ricos pensam em relação ao dinheiro, às suas posses e sobre os seus negócios. Sem ter essa mentalidade que os ricos tem, você pode ganhar na loteria, ter uma casa de um milhão e uma Ferrari na garagem e mesmo assim você não será rico, tendo uma grande probabilidade de você gastar todo o dinheiro antes do final da sua vida sem deixar nada para as suas próximas gerações.

Como os pobres pensam

A mentalidade geral da classe média e da classe pobre é de ter um bom emprego, com um bom salário para que possam gastar o seu suado dinheiro em bens não compatíveis com a sua realidade financeira. Quando as contas no final do mês apertam, a solução achada normalmente é estudar mais para ter um emprego melhor…

O problema é que quando esse novo emprego chega, com um salário melhor, o hábito consumista dessas pessoas as leva a gastar o dinheiro a mais que estão recebendo, ao invés de economizarem e/ou investirem. Com novos gastos e talvez novas dívidas, a “solução” é novamente estudar mais para ter um emprego melhor, criando- se assim um ciclo interminável.

Como os ricos pensam

A mentalidade dos ricos é extremamente diferente da mentalidade da classe média e pobre. Enquanto a classe média trabalha para ter uma vida confortável e para sustentar os seus luxos, os ricos trabalham arduamente para aumentar a sua pilha de ativos.

(Você não sabe o que é um ativo? No meu artigo sobre a crise econômica de 2008-2009 eu explico o que é um ativo e qual é a diferença entre um ativo e um passivo. Clique aqui para acessar o artigo.)

money-eye

Enquanto as pessoas “comuns” trabalham para outras pessoas a fim de receberem pelo seu trabalho no final do mês, os ricos se esforçam para ter empregados que gerem dinheiro para eles. Dessa forma, quanto mais os ricos trabalham junto com os seus empregados para gerar esses ativos, menos irão trabalhar no futuro, ao contrário dos empregados e autônomos que sempre terão trabalhar mais para ganhar mais.

Como a mentalidade capitalista entrou na sua cabeça

Você já parou para pensar no porquê que você tem esses impulsos consumistas que o(a) fazem muitas vezes contrair dúvidas para adquirir alguma coisa? Quem colocou isso na nossa cabeça foram os ricos para que queiramos ser como eles sem saber como fazer isso.

Pense, por exemplo, num anúncio de uma margarina que passa nos comerciais de um programa. O anúncio não vende somente a margarina, vende também a cozinha maravilhosa, o vestuário bonito dos atores, a casa arrumada, grande e bonita, vendem todo um estilo de vida  que a maioria de nós, pobres mortais, luta a vida inteira para conseguir sem sucesso. Por quê? Porque não nos é ensinado como lidar com dinheiro.

Dicas para passar a pensar como os ricos

Existem algumas dicas que irão te ajudar a trabalhar os seus pensamentos para que você comece a pensar de forma mais parecida com os ricos. Veja abaixo:

  • Nunca diga que você não pode comprar algo
    Essa é uma frase que ouvimos muito por aí, principalmente quando vemos aquele carro maravilhoso e estupidamente caro, ou aquela televisão de plasma de 50 polegadas, igualmente estupidamente cara. O problema é que falar que você não pode comprar isso é errado, porque você pode! Uma pessoa com a mentalidade de uma pessoa rica ao invés de se conformar em nunca ter o seu objeto de desejo, perguntaria para si mesma como seria possível conseguir dinheiro para alcançar esse sonho. Comece a se fazer essa pergunta: “Como posso conseguir dinheiro para comprar isso?”.
  • Riscos não são tão ruins se você souber controla-los
    Muitas pessoas que buscam segurança em um emprego tem medo de começar um negócio próprio ou investir por causa dos riscos envolvidos. O problema é que mais uma vez essas pessoas não enxergam a oportunidade por trás dos fatos. Se você estudar para aprender como contornar esses riscos, você terá nas suas mãos uma oportunidade relativamente segura. E digo mais… Uma oportunidade que a maioria das pessoas que buscam segurança num emprego não vão aproveitar (ou seja, a concorrência será menor, o que por si só já diminui um pouco esses riscos).
  • Cuidado com o poder das palavras
    Cuidado com o que você fala para você mesmo. Se você diz que nunca será rico, que nunca terá dinheiro sobrando, é bem provável que isso aconteça. Já se você falar para si mesmo que um dia você terá o conforto que deseja e ainda sobrará dinheiro, é bem possível que você se anime mais para conseguir lutar por isso.

About The Author

Empresário (CEO da agência de comunicação PIBIT) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

7 Responses

  1. Tiago Henrique de Moraes

    Bom, realmente as idéias aqui postadas por Bernardo Pina é bem coerente e real as pobres sempre com a cultura de querer ser igual aos ricos só se endividam tentando construir o sonho de ter bens materiais, porém não pensam em investimentos para que realmente tenha a fonte para que possa obter tais bens…
    Diferente dos ricos que em primeiro lugar vêem a necessidade de investimento em uma fonte para que possa obter a renda para sustentar seu conforto!
    Há bastante disparidade entre os dois pensamentos.
    Portanto é tão grande a divisão de ricos e pobres no Brasil, e a desigualdade continua em porcentagens elevadas.
    É um problema governamental que possa receber intervenção do estado para melhorar?!
    A resposta é sim; porém a classe proletária tem que mudar a sua filosofia, suas idéias e criar, desenvolver, buscar uma mentalidade de progresso!
    Segundo uma empresa de consultoria norte americana Boston Consulting Group (BCG). Os ricos detêm 88% da riqueza global a mesma empresa adverte ainda para aumento da desigualdade social e maior concentração de “poder” e riqueza nas mãos dos mais ricos têm tendência de aumentar nos próximos anos.
    É como diz o ditado popular “Os ricos casa vez mais ricos, e os pobres cada vez mais pobres”.

    Fonte:http://www.administradores.com.br/noticias/riqueza_mundial_esta_mais_concentrada_aponta_consultoria/17116/

    • Bernardo Pina

      Na minha concepção, o maior problema, Tiago, é que não nos ensinam na escola como devemos cuidar do nosso dinheiro ou como devemos enxergar oportunidades na nossa vida. Com esse tipo de abordagem nas escolas, tenho certeza que a desigualdade social iria diminuir bastante.

  2. Tiago Henrique de Moraes

    Verdade Pina! Novamente concordo plenamente com seu raciocino!

    Mais o governo está pouco preocupado em resolver o problema da desigualdade social sempre existe uma prioridade anterior para ser solucionada com isso os assuntos de desigualdade ficam sempre pra segundo plano.

    Ingressar na grade curricular dos alunos formas para que estes saibam administrar o seu dinheiro é uma ótima idéia, porém em um país em que formam-se analfabetos funcionais, onde há alunos que saem das escolas sem saber ler, onde a classe dos mestres (professores) é mal remunera, pouco valorizada e enfrentam longas jornadas de trabalho as vezes fazendo até três períodos diários…

    Acho que isso trará prejuízo aos cofres públicos! Se tiverem de fazer isso dar-se-á muita morosidade o negocio é coibir a inteligência mesmo, formar pessoas ignorantes, pedantes, leitores incultos assim será mais fácil enganar a população.

    Gastar-se-á dinheiro publico para o povo?!Ah é bobagem mais fácil é desviá-los para os paraísos os fiscais lucrar-se-á mais assim acumulam-se riquezas para que os nossos parlamentares possam ter garantido o direito de viajar com seus familiares para o exterior com o dinheiro alheio…

    Dessa vez foi à crise financeira, outrora fora os problemas ambientais e assim sucessivamente. O que realmente se visa é a concentração de renda.

    Agora as prioridades voltam-se para as eleições de 2010, e novamente as classes laboriosas ficam a mercê de uma próxima vez e assim por diante.

    Como no período da revolução francesa o preço dos produtos é altíssimos devido aos a carga tributaria, impostos, etc. O salário uma verdadeira anedota e algo jocoso… Insuficiente para suprir as necessidades básicas…

    Já que quando o governo aumenta salário logo começam os reajustes!

    Pina, entre nós essa idéia realmente é sem dúvida correta e viável para nós. Já para o governo….

    • Bernardo Pina

      É verdade, Tiago. Mas mentalidade do governo só mudará quando a mentalidade do povo mudar por si própria. Se o governo não dá escolas de qualidade, o povo tem que correr atrás do conhecimento.

      Depende de cada um de nós…

  3. sandra

    muito interessante tudo isso moro no litoral e nunca tive chances de estudar sempre trabalhei pra gastar ,dividas e mais dividas desde o meu primeiro trabalho ,nunca tive um exemplo de como cuidar do dinheiro para ele trabalhar a seu favor ,quero e sei que vou conseguir minha tão sonhada liberdade financeira e tudo que sonho,viver bem e com dinheiro ,viver so pra pagar dividase horrivel,to lendo o livro pai rico pai pobre,e incrivel como e tão importante aprender a lidar com o dinheiro e tão longe ao alcance de que não tem um modelo eu por exemplo nunca tive um modelo pra seguir,mas quero mudar, um abraço

    • Costa Junior

      Oi Sandra, é cômodo para nós trabalharmos para gastar o que foi conseguido com fruto do nosso suor, mas, o que posso te dizer é, se você define os seus gastos fica mais fácil poupar.
      Tente comprar também a sua economia, separando parte do que ganha para sua liberdade.

  4. ernesto costa

    parabens bertnardo. é isso ai. concordo com seus pensamentos.
    li mensagens enviadas p/ vc , e vejo como as pessoas as vezes ficam pensando no governo , que este vai resolver
    nosso problema, ou dos pobres . acho que temos que procurar nosso sucesso financeiro e esquecer o governo.
    ajudar aos pobres se faz , dando ensinamentos , ensinando a pescar e não dando peixe.tambem é preciso que a pessoa como os que leram ou escreveram alguma coisa, que procuremos entender como as pessoas ficaram ricas , quto esforço e dedicação , e até noites não dormidas pela coragem de fazer negocios que outros ainda não fizeram.abraços.