Você é uma pessoa que viaja muito e/ou anda por vários locais da cidade durante o seu expediente? Se sim, provavelmente possui a necessidade de ter equipamentos que lhe proporcionem mobilidade e ao mesmo tempo acesso ao mundo digital, tais como netbooks, smartphones e alguns tipos de tablets. A questão é, como distinguir o melhor equipamento para produzir conteúdo? Esses dias eu descobri que muita gente não consegue diferenciar aparelhos produtores de conteúdo de aparelhos consumidores de conteúdo.

Em qualquer lugar, a qualquer hora

Esse é o propósito central da mobilidade. Com a tecnologia cada vez mais inserida em nossas vidas, acabamos nos tornando um pouco dependentes dela. Para mim, que geralmente trabalho tranquilo na frente do meu computador, não há problemas, mas existe muita gente que está em constante movimento. Veja os jornalistas, por exemplo. A profissão é secular e os profissionais dessa área sempre se viraram bem sem tecnologia, mas tente imaginar o quanto que são mais produtivos nos dias de hoje, com internet a qualquer momento, em qualquer lugar. Eles trabalham com informação e a internet é uma grande fonte de informações!

Esse foi apenas um exemplo para ilustrar o que a mobilidade faz conosco. O problema é que, na minha opinião, mobilidade não se dá muito bem com usabilidade quando se trata de produzir conteúdo.

Mobilidade x Usabilidade

Muita gente vai discordar de mim, tenho consciência disso. A Bia Kunze, do blog Garota Sem Fio, utiliza um smartphone sempre acompanhado de um teclado bluetooth para produzir conteúdo aonde estiver. O problema é que essa não é a realidade de muitas pessoas, não por questões técnicas, mas sim por questões pessoais.

Pense comigo… Para se ter mobilidade, é necessário que tenhamos um aparelho compacto. Quanto menor, melhor a mobilidade. O problema é que quanto menor o aparelho, pior é a usabilidade decorrente da diminuição das partes que o compõem. Assim, temos um aparelho móvel, mas com tela pequena e teclados extremamente compactos, o que dificulta a utilização por uma grande parcela da população.

Usabilidade (Wikipedia): Na Interação Humano-computador e na Ciência da Computação, usabilidade normalmente se refere à simplicidade e facilidade com que uma interface, um programa de computador ou um website, pode ser utilizado. O Termo também é utilizado em contexto de produtos como aparelhos eletrônicos, em áreas da comunicação e produtos de transferência de conhecimento, como manuais, documentos e ajudas online. Também pode se referir a eficiência do design de objetos como uma maçaneta ou um martelo.

Eu, por exemplo, tenho mão grande com dedos grossos. Tenho dificuldade para digitar em smartphones que tenham teclas muito pequenas em seus teclados. Sem ir muito longe, a minha mãe, que tem hoje 50 anos, tem dificuldade para enxergar textos nas telas muitas vezes pequenas de alguns smartphones.

Assim, chegamos ao ponto principal desse texto. Se temos uma usabilidade ruim, provavelmente não utilizaremos (ou utilizaremos muito pouco) esse aparelho para produzir conteúdo. Mas a pergunta chave é: você precisa mesmo de um aparelho com foco em produção de conteúdo?

Produtores de Conteúdo x Consumidores de Conteúdo

É fato que existe muita gente que precisa ter mobilidade e condições para produzir conteúdo a qualquer hora, em qualquer lugar. Mas também existe uma grande quantidade de pessoas que precisam apenas ter mobilidade ao mesmo tempo que consomem informações e produzem uma quantidade muito pequena de informação. Se pararmos para pensar que a maioria dos aparelhos com foco em consumo de conteúdo também tem bons aplicativos para a produção de conteúdo, essas opções passam a ser bem interessantes.

Acredito que a falta de conhecimento sobre o seu foco de utilização, pode acabar confundindo muita gente ao comprar equipamentos. Isso faz com que essas pessoas acabem falando mal dos seus recém adquiridos gadgets, sendo que a real culpa não é do aparelho por não ter atendido às expectativas, mas sim do próprio dono por não ter comprado algo mais voltado para o seu foco de utilização.

Vamos dar um dos exemplos mais comentados nesses últimos meses, o iPad. Quem o comprou achando que poderia substituir um computador e utilizá-lo para redigir textos e mais textos, editar centenas de imagens, etc, acabou se decepcionando. Apesar do iPad funcionar muito bem para produzir conteúdo, o foco dele é no consumo de informações ao mesmo tempo que tem uma boa mobilidade e uma fantástica usabilidade.

Até hoje, todas as resenhas que eu li falando mal do iPad, falou mal porque esperava um algo que fosse focado em produção de conteúdo, algo que fosse substituir seus computadores no trabalho e, em alguns casos, até em casa. Em compensação, todas as pessoas que mais o elogiaram, o fizeram porque gostaram muito de ter um equipamento fantástico para leitura de livros, consumo de informações na internet e acesso ao e-mail. Consegue enxergar o foco do iPad e as expectativas erradas de alguns compradores?

Sendo assim, convido você a deixar a sua opinião sobre o tema nos espaço de comentários desse texto. Você precisa de mobilidade? Se sim, você sabe qual é o seu foco de utilização? Para produzir ou consumir conteúdo? O que você utiliza para suprir suas necessidades?

About The Author

Empresário (CEO da agência de comunicação PIBIT) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

  • Pingback: Tweets that mention A mobilidade, a usabilidade e a produção de conteúdo – É possível convergir? | Produzindo.net -- Topsy.com

  • http://ideia.me Jônatas Davi Paganini

    Mobilidade é algo que criamos a necessidade na nossa vida. Se antes nos contentavamos em ver apenas emails e acessar a internet discada depois da meia noite, e hoje podemos usar internet 3G em práticamente qualquer lugar já se têm uma grande progressão.

    Eu tenho um iPhone a mais de 2 anos e realmente antes disso não tinha o costume de ler emails com frequência no banheiro. Também não tinha o costume de acompanhar emails fora do computador e agora é praticamente natural.

    Comprei o iPad também e escutei muitas pessoas dizendo: “mas não dá pra fazer (blah blah blah)…”

    blah blah blah está relacionado a funcionalidades de produção e não de leitura.

    Sinceramente acredito que os mobiles vão demorar um bom tempo para entrar na vez da produção de alguma coisa. Podem ser extremamente úteis para um sistema de tomadas de decisões aonde o usuário apenas têm que apertar o botão verde ou vermelho, mas para fazer coisas que exigem pouco tempo ainda é um desafio.

    Um ótimo exemplo disto, é que sempre sonhei em fazer protótipos com os clientes no iMockups do iPad. Paguei 6 dólares para descobrir que o programa não era produtivo e por isso continuo com o Balsamiq Mockups.

    Acredito sinceramente que os sistemas móveis vão ser muito mais para leitura do que para escrita. Meu iPad não tem 3G e já sinto que quando estou longe do wifi ele perde muitas de suas funcionalidades “triviais” para mim.

    Por outro lado, sou apaixonado pelos programas de fazer desenho, música e jogos e apesar de não fazer nada profissionalmente nesta área me divirto muito com o iPhone/iPad consumindo isto.

    Fiquei muito feliz ao ver o seu post sobre este assunto!