- “Quem fez o site da minha empresa foi o filho de uma amiga minha. Ele sabe tudo de computador”

- “Sei tudo sobre a cotação do dólar e vi as fotos da visita do Lula ao Museu do Holocausto. Mas não conheço meus funcionários e não sei o que acontece no bairro onde a minha empresa se localiza…”

 

- “Eu quero uma logomarca nova pra minha empresa. Fiz esses desenhos de umas idéias aqui nesse papel ó. Posso buscar amanhã?”

 

- “Eu vendi o meu produto. Agora não tenho mais nenhum compromisso com meu cliente”.

Não preciso dizer que frases desse tipo não saíram da boca de empresários de sucesso. Organizar um planejamento responsável dos setores da empresa, mas negligenciar aquele que une todos entre si e com todos os públicos, é se expor a riscos muitas vezes irreversíveis.

Quando a crise vem

 

É em um momento de crise que a imagem da sua empresa é colocada à prova. Empresas precisam lidar com todos os questionamentos e problemas decorrentes de um transtorno como um acidente, por exemplo, ou alguma polêmica, boato ou situação que denigra a imagem da empresa e que se torne pública. Aliás, mesmo que não venha a público, cabe à empresa prevenir-se e ter uma postura responsável para antecipar uma má notícia quando, por exemplo, ela pode afetar a comunidade. O dever de zelar pela boa imagem da empresa e gerenciar crises cabe ao profissional de comunicação, seja ele de uma equipe de assessoria ou de agência terceirizada.

Um caso recente é o da empresa Royal Caribbean, responsável pela embarcação “Vision of the seas”, que ficou retida no porto de Santos durante quase dois dias. Casos de infecção gastrointestinal foram detectados em várias pessoas a bordo, o que causou grande alarde em toda a opinião pública. Após a vistoria dos órgãos fiscais responsáveis, a empresa emitiu um comunicado oficial que esclareceu o ocorrido na rede aberta de televisão e disponibilizou um discreto, porém eficiente, aviso em seu site oficial. Nesse comunicado a empresa informou sobre a determinação de um órgão oficial sobre o caso e não se isentou de responsabilidades, pois preocupou-se em higienizar todo o navio.

Acredito que somente essas ações não sejam suficientes, uma vez que a imagem do ocorrido será ainda ligada à empresa, mesmo porque poucas pessoas lêem esses avisos. Não sei quais foram as medidas tomadas para acompanhar o desenrolar do diagnóstico da doença e garantir o conforto dos tripulantes infectados, mas essa deveria ser a preocupação imediata de qualquer empresa que causa esse tipo de dano.

 

A sua empresa está em forma?

 

O parágrafo anterior não serviu para amedrontar! O que desejo exemplificar com tudo isso é que os investimentos em marketing, publicidade, propaganda e em uma boa assessoria de comunicação, são investimentos na imagem da sua empresa. O trabalho de comunicação numa empresa deve ser feito de forma constante e planejada ou fatalmente não irá atingir os efeitos esperados. Numa comparação, podemos dizer que investir em comunicação é o mesmo que praticar algum exercício físico.

  • Mantenha a regularidade. Não adianta investir durante determinado período e depois ficar parado. Ninguém se exercita num mês e depois para durante dois meses! Mantenha a constância, comprometa-se com isso. Do contrário, o esforço feito até agora terá sido em vão: dinheiro e energia jogados no lixo.
  • Procure profissional ou equipe especializada. Como as frases que destaquei no início do texto, não adianta querer bons resultados se você não busca direcionar seus investimentos para quem entende do assunto e pode te orientar da melhor forma. É a velha história do esportista de fim de semana, que ao invés de ganhar saúde, fica cheio de dores.
  • Não espere resultados imediatos. Quantas histórias já ouvimos de pessoas que começaram a malhar e depois de dois meses pararam porque não viam os resultados? O mesmo acontece com muitos empresários, que investem em comunicação, mas esperam ver os lucros logo depois.
  • Existem vários tipos de resultados. É possível mensurar o alcance de suas ações de comunicação, o impacto sobre o seu público-alvo, as associações da sua marca na mente do consumidor, dentre outras variáveis. Tudo isso fará um diagnóstico para definir se está tudo no caminho certo: o caminho do sucesso e, é claro, dos lucros. Na mente do esportista, pense: só porque não definiu seus músculos não quer dizer que não tenha ganhado muito em saúde e qualidade de vida.

Ferramentas de comunicação não servem só para fazer um “jornalzinho” ou para organizar a festa de confraternização de fim de ano. Procure se informar sobre casos de sucesso e busque conhecer as soluções de comunicação que se enquadram na realidade da sua empresa. Numa sociedade de informação cada vez mais veloz, com novas ferramentas que surgem a todo momento – com alcance e resultado visíveis – sai na frente quem pensa adiante.

Clique aqui para ver outros casos e dicas sobre gerenciamento de crises. Se você quiser saber mais sobre o caso da Royal Caribean, clique aqui.

About The Author

É Jornalista, formada em Comunicação Social. Atualmente é Executiva de Contas na Iso4 Comunicação. Já trabalhou como Assessora de Comunicação, Editora e faz freelas como Apresentadora de vídeos. Integra a equipe da Produzindo.net como Revisora.

One Response