Quem lê esse blog já a alguns anos sabe que eu tenho uma forte veia empreendedora, que sempre fica pulsando no meu consciente e subconsciente. Por motivos que não vem ao caso agora, algumas das minhas empreitadas não deram certo e outras nem sequer sairam do estágio embrionário. Porque? Por causa do momento.

“Por causa do momento? Como assim?”

As minhas idéias eram boas e tinham futuro (algumas ainda têm e estão no papel), mas não era o momento certo para nenhuma delas. Percebi isso ao longo do tempo ao ver vários fatores que colaboraram negativamente, tal como minha maturidade pessoal e profissional, disponibilidade de tempo, disponibilidade de dinheiro para investir, disposição, etc. Mas uma coisa nunca mudou… Aquela veia forte que fica pulsando, dia e noite.

Meu objetivo sempre foi manter a chama acesa para que eu soubesse aproveitar oportunidades e isso veio a calhar quando recentemente, apareceu uma ótima oportunidade de negócio. Algo que eu nunca teria vislumbrado antes, mas que quando eu vi, se mostrou com um enorme potencial. Estou finalmente chegando lá…

Mas afinal, qual é hora certa?

O que eu quero dizer com isso tudo é que não é qualquer momento que é o melhor momento para qualquer oportunidade de negócio. Você tem que observar alguns fatores e considerar se realmente é o momento para investir pesado em uma idéia. Separei alguns dos pontos que considero cruciais para qualquer um analisar na hora de saber o momento certo.

1. Situação do mercado

Você mora em uma cidade que sempre fez calor, onde as sorveterias sempre tiveram histórico de estarem cheias a maior parte do ano, e você quer investir nisso. Mas o que acontece se a região têm enfrentado, de uma hora para outra, uma diminuição considerável na temperatura? Será que nos últimos anos, com isso tudo acontecendo, o movimento das sorveterias é o mesmo de tempos atrás?

Entenda que o mercado é mutável, e você tem que saber o momento certo para investir em uma idéia. Outro bom exemplo para momento errado é a venda de conteúdo na internet. Sabemos que na década passada, a prática de venda de conteúdo era muito comum e sabemos que isso, hoje-em-dia, já não dá mais tanto dinheiro quanto dava antes. Será que vale a pena, perante a baixa disposição da população a pagar por conteúdo, investir em um site que vende conteúdo? Acredito que não.

2. Situação financeira

Outro ponto que pega é a sua situação financeira. Existem infinitos tipos de negócios a serem criados e desenvolvidos, dos quais muitos precisam de um investimento inicial. Se você não está disposto a abrir mão de uma porcentagem da sua empresa para um investidor, você tem que saber o momento certo para colocar sua grana no negócio. Digo isso porque não adianta você fazer dívidas gigantes por uma empresa que não terá condições (no seu estágio inicial) de cobrir os custos da dívida.

O momento certo, pensando em termos de finanças, é o momento em que você consegue conciliar seus gastos pessoais com o pagamento de um financiamento ou com uma diminuição das suas reservas financeiras.

3. Disposição

Se você quer começar um negócio, seja ele do zero ou algum tipo de negócio já estabelecido, você tem que ter disposição para lutar pela sua empresa. Isso significa que você tem que correr atrás de bons preços (no caso de revenda de produtos), bons profissionais, buscar conhecimentos contábeis para não ser passado pra trás por um contador de meia tigela, buscar formas de atrair mais público, etc, etc, etc.

A vida dos empreendedores iniciantes é sempre conturbada, e não há ditado mais certo do que o seguinte: “É o olho do dono que engorda o gado.”.

Se você atualmente não está com muita disposição para correr atrás do que a sua empresa precisa, nem tem uma pessoa de extrema confiança para fazer isso para você, considere esperar mais um pouco.

4. Estratégia de lançamento

Certa vez eu orientei um amigo para traçar uma estratégia negocial para o lançamento do seu livro, e um dos pilares da estratégia traçada foi esperar o momento certo para o lançamento do livro.

O livro tinha ficado pronto no meio do ano e, conversando com ele, consegui convencê-lo que a melhor estratégia seria lançar o livro em meados de outubro ao invés de lançar em julho. Isso porque o foco do autor era um público que tem maior fluxo de renda no final do ano, o que facilitaria na hora do leitor ponderar se tem ou não dinheiro para comprar o livro. O resultado, juntamente com as outras definições estratégicas, foi um sucesso de lançamento, com cerca de 5.000 exemplares vendidos nos dois primeiros dias de lançamento.

Não estou falando que qualquer produto deve ser lançado no final do ano, mas é interessante observar a época em que o produto ou negócio será, de fato, lançado, pois dependendo do caso, pode fazer uma grande diferença.

5. Uma oportunidade pode não bater duas vezes na sua porta

Tenha uma coisa em mente: uma mesma oportunidade pode não aparecer duas vezes na sua vida. Isso significa que você tem que ponderar os prós e contras do negócio que apareceu, para que assim você consiga determinar se é ou não a hora certa de investir nessa idéia.

A oportunidade de negócio que eu mencionei no início do texto, eu já havia percebido alguns meses atrás. Mas apesar ter planejado investir nela apenas no final do ano, o momento de investir se mostrou agora e eu fui colocado na parede: “É agora ou nunca!”. Depois de muito ponderar, decidi apertar um pouco os cintos e adiantar minha entrada nessa empreitada. Daqui a uns meses eu volto para contar se deu certo ou não, mas o que eu quero dizer nesse tópico é: se não fosse agora, não seria mais no futuro. Em suma, há muitos casos que você não deve ponderar “será que eu devo fazer isso mais pra frente?”, mas sim “será que eu devo fazer isso agora?”.

-

Para finalizar, quero dizer que cada empreendedor tem uma experiência diferente no “empreender”. O meu conselho para você, que está querendo começar seu negócio, é que procure conhecer ao máximo a experiência das outras pessoas, absorvendo tudo o que deu certo e o que deu errado em cada caso. Assim, por mais que o seu caso seja diferente, você tende a não cometer os mesmos erros que outras pessoas já cometeram e tende a acertar mais ao saber o que tem mais chances de dar certo.

About The Author

Empresário (Diretor de Operações da Data Power Team) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.