O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo. As vagas de emprego cada vez mais exigentes. Os profissionais cada vez mais capacitados. Bom, até aqui nenhuma novidade.

Mas temos que ter algo em mente: SEMPRE vão existir vagas de emprego, pois o mercado não é estático. E isto pode ser uma boa oportunidade pra você – se souber exatamente o que esperam de um candidato em uma entrevista de Recursos Humanos.

Antes de mais nada, o entrevistador quer saber se você realmente sabe desempenhar a função da vaga, ou seja, se possui o conhecimento teórico para desenvolver a atividade que lhe será concedida. Jornalista tem que saber escrever. Médico tem que saber diagnosticar. Alguém que chega a uma entrevista sem saber fazer a atividade é na verdade o tradicional “pistoleiro de currículos”, que não possui foco no que realmente procura – e ninguém quer um profissional que não é focado.

chefe-01Porém, melhor do que simplesmente saber como se faz, é já ter feito a função anteriormente. Neste ponto, entramos no nosso segundo tópico a ser avaliado: a experiência. Esta atribuição qualifica o trabalho do profissional, de modo que assim ele terá mais facilidade para realizar as atividades propostas. Jornalista tem que ter pautas publicadas. Médico tem que já ter feito cirurgias.

Em último lugar, vem o tópico mais difícil de encontrar e avaliar: a iniciativa. De nada adiantaria ter as duas qualidades anteriores se a pessoa não tem a pró-atividade necessária para que desempenhe as funções. Em muitos casos, inclusive esta última qualidade se sobressai perante as anteriores. Aliás, somente com agilidade para fazer suas atividades que se pode conseguir um emprego sem ter a experiência. Jornalista tem que pegar seu gravador e ir à entrevista coletiva. Médico tem que ligar para sua equipe e agendar a cirurgia.

Trata-se de um tripé. Quando falta algum dos três atributos, o trabalho pode não ficar bem sustentado – a não ser que isto seja compensado por outra qualidade. Existem pessoas que não possuem experiência, mas a pró-atividade deles faz com que em apenas um mês se tornem experts na função, e assim conseguirão a experiência que lhes falta. Por isso toda oportunidade é valida, porque sempre é uma qualificação.

Que tal tentar agora uma vaga de emprego?

About The Author

Graduando em Relações Públicas pela UFRGS, trabalhou por dois anos na assessoria de comunicação da CAIXARS, com foco em relacionamento com a imprensa e comunicação interna. Hoje atua como produtor de conteúdo da EZUK Mkt Internet (Porto Alegre) e desenvolve trabalhos externos na área de desenvolvimento de conteúdo, estratégias de marketing digital e planejamento de comunicação. Além disso, é editor do blog Tiro-Livre.

3 Responses

  1. Bernardo Pina

    Realmente é muito importante sabermos o que o nosso selecionador espera de nós para que possamos aumentar a nossa chance de ser contratado.

    Parabéns pelo artigo, Gabriel!

  2. Thaiany

    Otimo artigo!

    Porem, ainda existem pessoas que acham que tendo uma só dessas qualidades consegue se destacar em algum serviço. E o texto foi bom para ampliar esse o conhecimento bitolado de muita gente que, como o Gabriel disse, ‘atiram para tudo quanto é lado’,na procura por algum trabalho, e por isso que muitas nao estao contentes hoje com a vida profissional que têm!