Mais um ano chega e com ele vem novos sonhos, desejos e expectativas, e como não sou diferente de ninguém, também tenho minhas metas para este ano, e dentre delas, a de ser aprovado em um concurso publico na minha área que é administração.

Para começar, confesso que era um defensor do empreendedorismo e um critico dos concursos públicos, já chegando inclusive a fazer um post falando sobre isso aqui mesmo no produzindo.

No entanto, a vida é feita de reflexões e mudanças, e ao analisar com mais cuidaro a minha situação de vida neste momento, vi que realmente o mais interessante seria tentar a aprovação em um concurso em vez de me firmar em uma empresa privada ou de então abrir meu próprio negócio.

Confesso, mais uma vez, que esta mudança partiu sim da estabilidade oferecida pelos cargos públicos, mas não apenas isso. Enxergo esta escolha também como um passo importante para que eu alcance meus outros sonhos, dentre os quais estão sem dúvida o empreendedorismo (Startup) e de quebra a entrada em um mestrado.

Então para começar, trato, sobre a primeira questão: Porque fazer um concurso publico?

Porque fazer um concurso público?

Estabilidade, bons salários, segurança, são alguns dos motivos que levam jovens a entrarem na carreira publica. Aliás, diversos autores costumam dizer que enquanto nos Estados Unidos as maiores mentes pensam em abrir empresas, aqui no Brasil, as maiores mentes estudam para passar em um concurso. Mas convenhamos, a realidade entre os países são bem diferente, isso tanto do lado, econômico, como social e cultural. Além disso, não podemos esquecer que os Estados Unidos estão ainda passando pela crise que começou em 2008 e olha que  eles são um dos maiores paises empreendedores do mundo.

No meu caso, particularmente, decidi entrar de cabeça nos concursos públicos porque vi uma ponte mais curta para concretizar meus outros sonhos, dentro os quais – como já destaquei – se encontra a abertura de uma empresa e a entrada para o mestrado.

Considero a motivação como algo fundamental, pois em muitos casos ser aprovado é algo a qual é necessário um bom tempo de estudo e preparação – o que pode variar de meses a anos. Por isso, ter um motivo forte para não desistir nas principais dificuldades é o passo inicial.

E sobre motivação digo mais: em diversas pesquisas, quando perguntam para jovens quem eles consideram seus lideres e exemplos, a maioria esmagadora elege empreendedores como Eike Batista, Roberto Justus, Silvio Santos e Antônio Ermirio de Moraes. Hoje eu vou fazer diferente, vou relatar aqui 2 casos (apesar de poder citar muitos mais) de pessoas que também tem feito a diferença no Brasil através de seus cargos públicos e infelizmente poucos de nós conhecemos suas histórias:

Ricardo Tadeu da Fonseca

Formado em Direito, ele é hoje, o primeiro desembargador cego do país, mas antes disso, ja vinha realizando grandes feitos, como ser aprovado no vestibular da Fuvest. Para alcançar este feito, a organização do vestibular gravou as questões em fita cassete e o Ricardo, ao passo que escutava as perguntas, ia as respondendo.

Ele perdeu totalmente a visão já no meio do curso. Isso significaria para muitos o fim de um sonho, mas para ele foi mais um fator de motivação para ser aprovado ao ver que podia contar com a ajuda dos seus colegas de sala que gravavam o conteúdo em fita cassete e liam para ele. Hoje Ricardo, tem mestrado e doutorado usando este mesmo metódo.

Logo após sua formação acadêmica, passou a fazer concursos, sendo que sua primeira aprovação veio na magistratura. Infelizmente não pode assumir pelo fato de ser cego.

Mesmo assim Ricardo não desistiu de seu sonho, e assim como tantos empreendedores, ele foi persistente, teve foco e se adaptou de acordo com as mudanças. O resultado foi sua aprovação efetiva para o cargo de procurador.

Mesmo tendo alcançado essa grande vitória, Ricardo não se deu por satisfeito e sua mais recente conquista foi a sua aprovação no concurso público para o cargo de desembargador, se tornando assim o primeiro cego do Brasil a ocupar tamanha função. Sua posse foi assistida pelo presidente Lula na época.

Veja aqui o link sobre a matéria sobre ele que saiu na Record: http://www.youtube.com/watch?v=gAEqNdtD-pM

Ubirajara Gomes

Ele não é empreendedor, é concursado publico, no entanto possui as mesmas caracteristicas de um Eike Batista ou Silvio Santos.

Contrariando o senso comum, Ubirajara Gomes, um mendigo que após ter vivido durante anos na rua, foi em 2008 aprovado no tão concorrido concurso do Banco do Brasil, com um salário inicial de R$ 954,00, no entanto, antes dessa vitória, ele ja havia tentado outros 4 concursos, sem sucesso.

Para estudar, mesmo sentindo muita fome, Ubirajara consumia bastante açucar, pelo fato da glicose lhe ajudar na concentração e raciocinio.

Concerteza, Ubirajara e Ricardo são apenas pequenos grãos de areia comparado a tantos outros casos de brasileiros que conseguiram sua provação em meio as diversas dificuldades que a vida impõe, dessa forma podemos comprovar que, assim como no empreendedorismo, no campo dos concursos publicos há também guerreiros e heróis.

Para fechar este artigo, deixo aqui uma frase do próprio Ubirajara, que resume bem como um concursando deve ser:

“ Sou um cara teimoso, persistente… na medida do possível, sagaz, eu acho. A gente tenta, tenta, tenta, tem objetivo”

About The Author

Cursando faculdade de Administração de Empresas pela FACER, atua na área administrativa e docência dentro do Terceiro Setor. Tem experiência com divulgação, publicidade, marketing Digital, docência e gestão no terceiro Setor. Também é autor do blog Liberdade Testada e Vale Empreender.

11 Responses

  1. Daniela

    Rômulo,
    sem querer desmerecer as qualificações do Sr. Ricardo Tadeu da Fonseca, não há concurso público para desembargador.
    Desembargador é o cargo do juiz de segunda instância (tribunal). Para chegar a desembargador, o cidadão ou é juiz que foi promovido, ou entra pelo quinto constitucional: advogado, promotor ou procurador escolhido entre seus pares.
    Boa sorte na sua empreitada!
    E bons estudos.

    • Rômulo

      Bom dia!

      Daniela agradeço pela participação, vamos fazer a correção.
      obrigado
      Rômulo

  2. cybelle

    Caro Rômulo, caso deseje ser funcionário público federal é importante saber que é proibido ao servidor público federal “participar de gerência ou administração de sociedade privada, personificada ou não personificada, exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, cotista ou comanditário”, conforme lei 8112/90.
    Abraços

  3. Rômulo

    Olá, Cybelle agradeço pela participação,

    Então, eu já conhecia este regimento, no entanto, quando for abrir minha empresa, ja tenho consciencia que terei q pedir dispensa, é como falei no post, enxergo o concurso como uma ponte para meus sonhos maiores, e claro´antes de pedir dispensa irei fazero plano de negócios para ver se o futuro empreendimento irá apresentar um bom retorno.
    Abraços.

  4. Elizabeth Maia

    Caro Rômulo,

    O que você quis dizer com “aqui no Brasil, as maiores mentes estudam para passar em um concurso”?

    Se isso quer dizer que os mais inteligentes/qualificados estão estudando ou já ingressaram no serviço público, a Administraçã Pública do nosso país seria uma ilha de excelência.

    De onde você tirou esta informação?

    • Rômulo Sousa

      Olá, Elizabeth
      Primeiramente, obrigado pela sua participação.
      Bem na afirmação que fiz “Aliás, diversos autores costumam dizer que enquanto nos Estados Unidos as maiores mentes pensam em abrir empresas, aqui no Brasil, as maiores mentes estudam para passar em um concurso”, fiz baseado na Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios Edição 270 – Julho de 2011 – Capa: Empresário Precisa Estudar?

      E em relação a Administração Pública, vale dizer que os concursos publicos são tanto para a administração publica direta como a indireta (Autarquias, e empresas publicas e de economia mista como Petrobrás, s, Banco do Brasil, Caixa Economica Federal) ou seja, mesmo que o governo brasileiro infelizmente falhe com suas obrigações, há gente deve também observar para as grandes empresas publicas que estão a frente do desenvolvimento do Pais, tipo Petrobras, Banco do Brasil e Vale do Rio Doce.

      E além do mais, infelizmente como você mesmo citou, a administração publica brasileira não é uma ilha de excelência mas podemos fazer algo para mudar o quadro, além disso, as empresas privadas também tem seus pontos negativos, senão tivesse, muita gente não estaria tentando a carreira publica, não é mesmo?

      Mais uma vez, obrigado pela participação.
      Rômulo

  5. Daisy

    *”Com certeza” e não “Concerteza”

    ………..

    Concerteza, Ubirajara e Ricardo são apenas pequenos grãos de areia comparado a tantos outros casos de brasileiros que conseguiram sua provação em meio as diversas dificuldades que a vida impõe, dessa forma podemos comprovar que, assim como no empreendedorismo, no campo dos concursos publicos há também guerreiros e heróis.

    ;-)

  6. rubem

    se vc entrar para uma carreira publica, veja que seu salário hj alto estára defasado daqui a poucos anos e, como muitos que se “aventuram” nessa área, logo partirão para greves para conseguir aumento, se respaudando na estabilidade. Se vc entrar ja pensando desse jeito, nem que vc vá vender cerveja na praia ( inclusive da muito mais retorno financeiro q muitas carreiras publicas), mas o empreendedorismo lhe dará a oportunidade de aumentar seus ganhos a partir de seus méritos.