dinheiro-papel-higienicoDesemprego, déficits e empresas quebrando quantificam a potência da crise global. Mas para quem ainda acredita que a “corrente quebra sempre no elo mais fraco”, pode estar enganado. De acordo com pesquisa da revista americana “Forbes”, os efeitos da crise reduziram de 1.125 para 793 o número de bilionários no mundo, registrando uma diferença de 332 novos “pobres”.

Em 2008, a fortuna total deles somava o montante de US$ 4,4 trilhões. Conforme a pesquisa, hoje esse valor se aproxima de US$ 2,4 trilhões. Os norte-americanos respondem por 45% dos bilionários, e seus recursos somados dão 44% de toda a grana.

Apesar dos três homens mais ricos do mundo continuarem os mesmos, confira o quanto eles perderam em um ano (dados até fevereiro de 2009):

  1. Bill Gates: Fortuna atual de U$S 58 bilhões, perdeu US$ 40 bilhões;
  2. Warren Buffett: Fortuna atual de U$S 62 bilhões, perdeu US$ 37 bilhões;
  3. Carlos Slim: Fortuna atual de U$S 60 bilhões, perdeu US$ 35 bilhões.

Apesar da força da crise nos EUA, é na cidade de Nova Yorque que está concentrada a maioria destes ricos: 55 deles. A pesquisa aponta que o município norte-americano desbancou Moscou, que teve uma queda de 87 para apenas 32 endinheirados. A Rússia vinha registrando uma explosão no número de ricos nos últimos anos.

Conforme o executivo-chefe da revista, Steve Forbes, “dá medo saber que os maiores investidores do mundo não sabem como lidar com a crise”. Ele também afirma que o bilionário típico perdeu pelo menos um terço do seu valor líquido e se trata da maior perda de bilionários da história.

Os dados no deixam apenas uma dúvida: quantos elos esta crise ainda vai arrebentar?

About The Author

Graduando em Relações Públicas pela UFRGS, trabalhou por dois anos na assessoria de comunicação da CAIXARS, com foco em relacionamento com a imprensa e comunicação interna. Hoje atua como produtor de conteúdo da EZUK Mkt Internet (Porto Alegre) e desenvolve trabalhos externos na área de desenvolvimento de conteúdo, estratégias de marketing digital e planejamento de comunicação. Além disso, é editor do blog Tiro-Livre.

Related Posts

One Response

  1. Tiago Henrique de Moraes

    Aqui no Brasil não é diferente Barbosa, embora o Presidente Lula houvesse dito que a crise por aqui teria efeito de uma pequena “marolinha” nos utilmos 4 anos o Brasil havia formado uma nova geração de magnatas…Porém bastou alguns meses para que estes novamente saissem desta lista tão cobiçada…

    Até 2004, os rostos reinantes na economia eram os de sempre — controladores de conglomerados industriais centenários, bancos e outras instituições pertencentes a famílias tradicionais.

    Com aberturas de capital essa lista começou a mudar dando lugar a novos milionários cerca de um a cada 40 dias.

    Porém chegou a crise mundial com a sua capacidade gigante de desfazer fortunas.

    Dos 39 bilionários surgidos no país nos últimos quatro anos, 34 têm hoje patrimônio inferior a 1 bilhão de reais (em alguns casos, bastante inferior).

    Juntos, esses empresários chegaram a acumular uma fortuna de 97,5 bilhões de reais.

    Hoje, suas participações, somadas, não passam de 20 bilhões.

    Os casos são similares ao do do senhor empresário Meyer Joseph, da construtora paulista Tecnisa, era dono de 1,3 bilhão de reais em julho de 2007.

    A fortuna caiu 79%, para os atuais 271,5 milhões de reais.

    As informações são da revista Exame.