Quando vemos o resultado do sucesso de alguma empresa – uma loja cheia de clientes dispostos a comprar ou um anúncio de página inteira em alguma revista de grande circulação – faça um exercício: pense ao contrário. Como eles fizeram para chegar até aquele resultado? A resposta começa por um bom briefing.

Briefing pode ser um nome complicado à primeira vista, mas define muito bem o objetivo a que se propõe. Briefing vem da palavra inglesa brief que quer dizer sumário, síntese, fazer resumo. Alguns autores tentaram “aportuguesar” a expressão, porém não chegaram a nenhuma que transmitisse tão bem a ideia, que foi então incorporada a linguagem técnica.

Briefing é, de forma geral, um instrumento de identificação de determinado problema. Ele é um documento em que a empresa diz o que deseja de determinado serviço de comunicação, pesquisa de mercado ou publicidade. O briefing deve responder claramente à pergunta: “o que você quer?”. Ele é a base para que todo o trabalho seja realizado de forma alinhada entre empresa e prestadora de serviço. Se a empresa fornece um briefing preciso, em que deixa claro seus objetivos, o trabalho será realizado de forma a atingir resultados muito mais próximos dos esperados. Tudo o que está no briefing deve conduzir a um foco principal, a um objetivo claríssimo.

Tem gato na tuba

Já ouviu essa expressão? Pode parecer velha, mas falhas de comunicação acontecem a todo momento, e é exatamente isso que a frase quer dizer (não sei tocar tuba, mas imagino ser impossível tirar algum som com um gato dentro!). Quantas vezes você solicitou determinado serviço a um fornecedor e ele não atendeu conforme esperado? Ou, caso você seja o fornecedor, não houve ocasiões em que não importaram os esforços feitos, o cliente sempre estava insatisfeito? Alinhar as expectativas faz parte do início de qualquer relacionamento empresarial (e pessoal também, não é?). Fornecedor e empresa devem expor suas expectativas, métodos de trabalho, prazos e objetivos, além de deixar claro a quem se reportar. Muitas vezes a própria empresa não deixa claro suas expectativas. Cabe então ao fornecedor buscar se informar sobre a empresa, do contrário, corre-se o risco de que o trabalho que faz tanto sucesso com vários clientes pode não funcionar com este em especial.

Contatos pessoais não substituem o briefing, pelo contrário, são essenciais. A conversa, a visita, o “olho no olho”, enriquece e complementa o que é um processo contínuo e cumulativo. O objetivo do trabalho, afinal, não é somente passar informações, mas criar interesse e estimular ideias. Quer algo mais estimulante do que trabalhar com um empresário empolgado com seu negócio e aberto a conversar sobre o que tem feito e o que tem pensado?

Caso de sucesso

Mesmo quando há resistência por parte da empresa, um trabalho bem afinado pode se reverter em sucesso. Um empresário era muito resistente a ações de marketing e publicidade. As razões eram: tradição – mais de 30 anos de experiência e nenhum investimento em comunicação visual ou divulgação – e trabalhar na área de saúde – para ele não era necessário divulgar seus serviços, uma vez que ele figurava nos catálogos dos planos de saúde. Entretanto, seu objetivo era claro: queria aumentar seu número de atendimentos, porém sem deixar de lado a manutenção de uma imagem tradicional e de credibilidade.

Aos poucos, depois de muitas conversas francas e quase desistências (por parte do cliente), a agência de publicidade criou a identidade visual de sua clínica, substituiu o receituário feito em papel mimeografado por timbrados personalizados e criou a identidade visual externa. Hoje, com apenas três meses de propaganda em rádio, o médico viu o número de consultas marcadas aumentar, já reservou mais seis meses de rádio e planeja um anúncio em uma revista anual de grande prestígio na cidade. Tudo fruto de uma parceria que soube entender as necessidades e o tempo do cliente, atuando com uma comunicação direcionada e concordante com o público alvo pretendido. É o caso de uma empresa pronta para superar seus objetivos, que precisava ter sua comunicação ativada para atingir seu potencial.

Definindo responsabilidades

EMPRESA/ÁREA DE MARKETING

FORNECEDOR/AGÊNCIA

 

Tornar acessíveis todas as informações relevantes sobre seus produtos e mercados.

 

 

Aconselhar e assistir a empresa na formulação dos objetivos do trabalho.

Ajudar a formular objetivos adequados.

 

Obter todas as informações necessárias para a execução do planejamento estratégico, dos planos de trabalho e levantamento dos custos para alcançar os objetivos.

 

 

Aprovar os objetivos, planos e custos preparados, bem como tomar a decisão final sobre o planejamento estratégico.

 

 

Executar o planejamento estratégico, os planos de trabalho e orçamentos, para submetê-los a aprovação.

*Extraído e adaptado de Propaganda de A a Z de Rafael Sampaio. 

Portanto, se o objetivo do serviço que você deseja não for absolutamente perceptível no briefing, pare. O problema está com ele ou com você. Reestruture, analise, e entenda que o primeiro passo para o sucesso vem do foco  que o próprio empresário possui e a forma como ele o transmite a todos os stakeholders.

About The Author

É Jornalista, formada em Comunicação Social. Atualmente é Executiva de Contas na Iso4 Comunicação. Já trabalhou como Assessora de Comunicação, Editora e faz freelas como Apresentadora de vídeos. Integra a equipe da Produzindo.net como Revisora.

  • http://www.projetoinsert.com.br Rodrigo

    Muito interessante o post, ferramenta fundamental para execução de um projeto de sucesso

    • http://www.escrevendoonthebeach.blogspot.com/ Mahina

      Que bom que gostou Rodrigo! Continue acompanhando o Produzindo.Net. Abraço!

  • Lucas Repolês

    Que ótimo artigo, Mahina. Abriu minha mente para alguns pontos que precisam ser melhorados no meu proceso de negociação com clientes. Guardei seu texto na minha seção de referências do Evernote, pois tenho certeza que ainda precisarei recorrer a ele diversas vezes. Obrigado!

    • http://www.escrevendoonthebeach.blogspot.com/ Mahina

      Que bacana saber que esse texto cumpriu seu objetivo, Lucas, obrigada. Um abraço!