Acho que desde 2002, quando passei no vestibular para o curso de bacharelado em biblioteconomia, as perguntas que mais tenho respondido são (nesta ordem):

  1. Biblio o que?
  2. Legal, o que você faz?
  3. Ah… Nunca consigo achar livros em bibliotecas. Me ensina?

Imagino que um aluno de medicina se sinta da mesma forma:

  1. O que você faz?
  2. Medicina.
  3. Poxa, olha aqui minha garganta. Acho que ela está meio mal…

Todos os meus conhecidos e amigos que trabalham com informática/computação já deram suporte para os computadores lá de casa.

Ossos do ofício.

Então, vamos facilitar certo? Na qualidade de bibliotecária, sou DISSEMINADORA da informação, e não guardiã, como muitos podem pensar. Portanto é meu trabalho ajudar as pessoas a achar livros em bibliotecas, e para facilitar a vida de vocês, quero hoje dar algumas dicas que vão lhe ajudar no processo. Vamos lá?

biblioteca-01

A organização das bibliotecas pode variar muito de local para local. Por isso, antes de sair “futucando” o sistema de pesquisa e PRINCIPALMENTE as prateleiras, perca (ou ganhe!) certo tempo entendendo o local e sua organização. Alguns locais oferecem visitas guiadas que explicam direitinho como é essa organização. Se for o caso da biblioteca da sua faculdade, por exemplo, faça essa visita o quanto antes. Vai ser o diferencial para você conseguir, antes dos seus amigos, encontrar aquele livro mega disputado às vésperas da prova mais complicada do semestre.

As prateleiras são organizadas, salvo casos muito específicos, com a mesma lógica da CLASSIFICAÇÃO dos itens. Então, precisamos entender um pouquinho sobre isso.

Classificar é uma “arte” que determina o assunto de um documento (de qualquer formato: livro, revista, jornal, fita VHS, fita K7, DVD, CD, etc.) e o traduz para um código que pode ser:

  • Numérico
  • Alfanumérico
  • De cores
  • De símbolos
  • O que mais a criatividade mandar

Os códigos de classificação mais comuns são os numéricos e alfanuméricos. A organização destes códigos pode seguir a chamada ordem natural (alfabética, por exemplo) ou não.

Quando se segue a ordem natural, geralmente todo mundo encontra o que quer. Afinal, a numeração começa no um e cresce tendendo ao infinito, sempre em números naturais. Acontece que as bibliotecas organizadas desta forma estão deixando esse formato de lado. Isso porque os livros são alocados nas estantes de acordo com a sua ordem de chegada e por mais que os sistemas informatizados das bibliotecas sejam muito bons, o ser humano e os sistemas são limitados.

Pense da seguinte forma… Você é um aluno de direito de uma faculdade que possui uma biblioteca aonde os livros são alocados por ordem de chegada. Ao todo, esta biblioteca possui 20.000 exemplares apenas em livros (sem contar os periódicos, os multimeios, as obras raras, etc). Você precisa de livros (veja bem: não UM, mas vários) sobre direito tributário. Digamos que os livros tenham a seguinte numeração natural, de ordem de chegada na instituição: 00001, 00015, 00540, 08496, 19257.

  • Problema 1: Você vai andar a biblioteca INTEIRA para achar 5 livros.
  • Problema 2: Se você não tiver encontrado outros livros no sistema por falha nos seus critérios de busca, você não acha mais nada.

Pois bem. Pensando nesse tipo de problema surgiram as classificações HIERÁRQUICAS.

“Pelo verde da grama, Talita, o que são essas classificações hierárquicas?!”

São as classificações que são focadas no conhecimento, organizando tudo de forma estruturada.No mesmo exemplo lá de cima: se o livro que você quer é de Direito Tributário, você sabe que este livro é:

1. Das ciências humanas

1.1 Direito

1.1.1 Direito tributário

No mesmo nível hierárquico de Direito tributário, poderíamos ter Direito administrativo, Direito constitucional, Direito Civil. São classes, ou seja, especificidades de uma disciplina principal – o Direito. Organizando os livros dessa forma, os que possuem o mesmo assunto ficam sempre “juntinhos”.

“E por que eu não acho os livros na estante?”

Por que a maioria dos códigos de classificação é DECIMAL.

Pela lógica, na ordem numérica que todos nós conhecemos, qual dos seguintes números está mais próximo de zero? Qual número “vem antes” na contagem? 65 ou 614? Todo mundo respondeu 65, certo?

No sistema decimal utilizado pelas bibliotecas, não.

Pense da seguinte forma: coloque “0,” antes dos números de classificação para transformá-los em números decimais. O que vem antes? 0,64 ou 0,615? 0,615, certo? É assim que os livros estão ordenados na estante.

O ponto chave disso tudo é que na classificação não se coloca o zero a esquerda do número por vários motivos (os quais não há necessidade de descrever aqui). Portanto, se você vir dois livros na estante, um 65 e um 614, lembre-se sempre que a ordenação é feita por números decimais, coloque o “0,” a esquerda e você saberá que o 614 (0,614) vem na frente do 65 (0,65).

Para fechar, aqui vão as dicas que resumem tudo:

  1. Faça visitas guiadas nas bibliotecas que você mais utiliza
  2. Se o sistema de classificação é decimal, basta fingir que existe um “0,” na frente dos outros números e você saberá qual será a ordem correta dos livros.

(créditos da foto para stock.xchng)

About The Author

Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília (UnB), atua nas áreas de gestão da qualidade e gestão da informação desde 2006. Interesse em gerência de projetos, gestão do conhecimento, sistemas de gestão da qualidade, biblioteconomia, restauração de documentos e (claro!) livros e literatura. Muito abrangente? É o poder do profissional bibliotecário, que funciona de A a Z.

  • Gregório

    Nossa, nunca tinha pensado dessa forma. Vou começar a fazer o teste.

    Obrigado pela dica!

  • Tiago Henrique de Moraes

    Nossa, que maravilha!

    Então temos uma ciência que nos ajuda a encontrar livros e organizá-los e etc…

    Vou começar a aplicar essa ordem aí acima na minha própia biblioteca… Vai me ajudar muito com certeza, será mais ou menos um 5S ( método utilizado por certas empresas na organização das coisas, que vai me poupar tempo, dinheiro, e irá me proporcionar muito mais facilidade e agilidade na hora de ler um livro!

    Adorei a ideia.Viva os biblioteconomistas! (se é que existe está palavra).

    Qualquer coisa Talita,se não existir esta palavra me avise!

    Sds.

    • Talita James

      Tiago,

      O termo existe sim! Também existem as denominações bibliotecônomo e bibliotecário (esta última bem mais comum!)

      Existem outras classificações bem interessantes e simples para bibliotecas domésticas. Se você tiver interesse, é só falar!

      • Tiago Henrique Budrin

        Opa! Claro, eu tenho interesse sim! Me ajude aí =D

        Obrigado.

  • Rafael

    Sempre me perguntei qual era a lógica por trás da organização de uma biblioteca pois sabia que aqueles códigos não podiam ser à toa.

  • Marlene Rodrigues

    Talita, adorei seus comentários, pude aprender muito com eles, tenho uma biblioteca por organizar, onde trabalho será que sempre que puder me poderás ajudar? bj e bom trabalho. LUANDA-ANGOLA.