Vivemos hoje num estágio diferenciado da internet. Em um primeiro momento, eram poucas as pessoas que tinham acesso e conseguiam colocar conteúdos nela. Em contrapartida, hoje é muito fácil inserir seu posicionamento, suas idéias, seus artigos, seu perfil. Isso acontece porque a web 2.0 – termo que define esse período que estamos passando – é caracterizada por ter seu conteúdo criado de forma colaborativa. Um bom exemplo disso é a Wikipédia, que uma enciclopédia online composta apenas por textos escritos por internautas comuns como você e eu.

Essa possibilidade de cada um disponibilizar o conteúdo que quiser, para quem quiser ler, fez com que a internet ficasse recheada de artigos, resenhas, debates, vídeos e imagens. Para você ser um bom internauta, tem de saber fazer esse universo próprio de informações trabalharem ao seu favor. Conforme o Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br), cerca de 95% das empresas utiliza sistemas de busca para conseguir informações. Some a isso que praticamente todo usuário comum (doméstico) de internet também os usam e você terá um panorama geral do que são esses sistemas de busca na internet.

buscas-01Qual sistema de busca?

Antes de mais nada, você deve escolher qual o site de busca que mais lhe agrada. Vou me ater a falar só de dois deles, o Google e o Bing (da Microsoft).

De longe o mais acessado em todo o mundo é o Google, mas eu sugiro que você pelo menos dê uma olhada no Bing. Esse (último) recente site inovou na técnica da busca, colocando uma coluna na esquerda que complementa os resultados. Isso é excelente na busca de fotos, onde você pode discriminar por tamanho da foto, layout, cor, estilo, etc. Há boatos que o Google está atualizando o seu layout e em breve deve ter uma barra lateral similar.

Nomes compostos

É preciso saber pesquisar por nomes compostos. Uma coisa é aluguel. Outra coisa é carro. E outra coisa bem diferente de ambos é aluguel de carro. Para que o site de buscas faça uma busca específica daquela locução que você procura, coloque o texto entre aspas na barra de pesquisas e a busca só encontrará os resultados que tenham exatamente aquele nome composto.

Tudo bem, você quer aluguel de carro. Apenas de carro. Nem caminhão e nem moto, só carro. Como fazer para ser mais específico na sua busca? Utilize o hífen. Quando você coloca o hífen em uma outra palavra (por exemplo: “aluguel de carro” -moto -caminhão), são retiradas do resultados de busca todos os resultados que tenham essas palavras em seu conteúdo e assim você pode ser mais pontual no que procura.

Que ótimo, você conseguiu alugar o seu carro. Eis que você resolve ir para o meio do mato com ele e ele estraga no meio do caminho! Acende a luz do radiador, mas como arrumar se você não sabe o que é um radiador? Tendo acesso à internet, você pode escrever “define:” (sem as aspas) seguida da palavra que se quer saber o que é (no caso, o radiador). A busca ficaria assim: “define: radiador” (sem as aspas) e assim o site de busca encontra um conceito preciso do que é aquela palavra.

Esses sistemas de buscas geralmente não consideram acentos e não diferenciam letras maiúsculas de minúsculas (exceto na busca de links patrocinados). Se você quiser diminuir o âmbito da sua pesquisa, pode escolher entre captar sites de todo o mundo, sites em português ou sites brasileiros (selecionando o desejado logo abaixo do espço onde escreve as buscas).

Parecem dicas bem simples (e são mesmo), mas ao mesmo tempo são muito boas e ajudam a sermos mais produtivos no tempo gasto fazendo buscas pela internet. Eu falo isso porque as utilizo o tempo inteiro e me ajudam muito a ser bem mais eficaz no que quero encontrar. Faça um teste e você vai ver o quanto é prático!

(créditos da imagem para flickr:DanardVicente)

About The Author

Graduando em Relações Públicas pela UFRGS, trabalhou por dois anos na assessoria de comunicação da CAIXARS, com foco em relacionamento com a imprensa e comunicação interna. Hoje atua como produtor de conteúdo da EZUK Mkt Internet (Porto Alegre) e desenvolve trabalhos externos na área de desenvolvimento de conteúdo, estratégias de marketing digital e planejamento de comunicação. Além disso, é editor do blog Tiro-Livre.