O GTD é uma metodologia prática. Nele, o destino da maior parte da “tralha” — ações, ideias, livros, emails, telefonemas — que coletamos é único e bem definido. Porém, há um grupo de itens que possui mais de uma ação associada e deve ser tratado diferentemente. São os chamados Projetos.

Projeto, na visão de David Allen, é qualquer resultado desejado que exija mais de uma ação. Ou seja, não é algo grandioso necessariamente. Assim, muitas coisas que não seriam classificadas nesta categoria passam a ser denominados, de acordo com o GTD, como projetos.

Para eles, o Getting Things Done oferece um passo-a-passo específico. Chamado de Modelo Natural de Planejamento, é a forma que nosso cérebro planeja naturalmente qualquer tarefa. Ela passa por cinco etapas:

  1. Definir o objetivo e princípios;
  2. Visualizar o resultado;
  3. Fazer o brainstorm;
  4. Organizar;
  5. Identificar as próximas ações.

Vamos ver cada um destes passos e entender como fazer os projetos andarem de forma criativa.

Definir o objetivo e princípios

Objetivo – Saber o motivo de qualquer atividade é o ponto mais básico de qualquer projeto. Para definir o objetivo, basta pergutar Por quê? Por quê você está cursando a faculdade? Por quê você quer sair para jantar? A resposta definirá o sucesso, motivando e tornando o foco claro para todos os encolvidos.

Princípios – São os padrões e valores que você defende. Normalmente, não se pensa neles conscientemente, porém podem significar o fracasso da empreitada caso sejam violados. Para identificá-los, complete a frase Eu daria aos outros total liberdade para fazer isto, desde que eles… ou Que comportamento poderia minar o que estou fazendo, e como posso evitar que isso aconteça?

Visualizar o resultado

Se o objetivo é o que motiva o projeto, a visão do resultado é o que define o sucesso. O que precisa acontecer para que haja sucesso verdadeiro? Quando todas as tarefas forem concluídas, como saberei se o resultado esperado foi alcançado?

Brainstorming

Depois de saber o que nos motiva a realizar tarefas e quais os resultados que queremos que se concretizem, o próximo passo é identificar como alcançá-los. Para isto, devemos gerar muitas ideias — não necessariamente boas.

No livro A Arte de Fazer Acontecer há uma frase de Linus Pauling que diz “A melhor maneira de ter uma boa ideia é ter um monte de ideias.” Para isto, o brainstorming é uma excelente ferramenta.

Organizar

Depois de coletar as ideias geradas no brainstorming, identificamos quais são os itens prioritários, as sequências que devem ser seguidas e as interdependências entre eles.

Os três passos-chave desta etapa são: Um. Identificar as peças significativas; Dois. Classificar; Três. Detalhar até o nível necessário.

Identificar as próximas ações

Somente após as quatro etapas anteriores determinamos as ações que serão realizadas. Qual é a próxima ação? O que deve ser realizado — fisicamente — para que o projeto siga adiante em direção à sua concretização com sucesso?

Essas são as cinco etapas do modelo de planjamento de projetos do GTD. Como o restante da metodologia, não requer o uso de ferramentas complexas nem traz uma teoria complexa por trás. Porém, pode trazer resultados bastante positivos na sua produtividade.

6 Responses

    • Rafael Perrone

      Acredito que estou numa fase semelhante à sua. O método tem me ajudado bastante.

      Espero que lhe ajude também.

      :]

  1. Maris a Graça

    eu realmente estou na fase de orgnaizaçào de vida , e principalmente de organizçào da minha empresa, acho o metodo GTD
    muito interessante ,mas tenho tido dificuldade em aplica-lo na vida real, será que existe um curso de um dia ou dois que ensine esta metodogia?? eu adoraria fazê-lo
    Tenho lido sempre tudo que é artigo que fale dobre o médoto, mas realmente sinto algumas dificuldades.se puder me orientar, ficarei muito agradecida, sou dona de uma produtora de eventos que trabalha para o corporativo apenas, tudo é muito rapido , no meu trabalho, e os eventos sào grande e com muitos detalhes.
    abraços
    Marisa