Escrita na idade médiaEscrever na internet é muito diferente de escrever em papéis. Nem tudo o que aprendemos antes sobre como escrever bem se aplica pois existe uma série de problemas e limitações a serem considerados. Temos que entender o leitor e direcionar a nossa escrita para as suas necessidades.

A web está cada vez mais acessível à todos e com esse crescente número de usuários, a quantidade de pessoas que criam conteúdos e o publicam também está cada vez maior.

Se esse for o seu caso, tenha em mente que quando vamos publicar algum texto, vamos concorrer com milhares de outros textos. Temos que atrair a atenção do leitor de alguma forma. Temos que ter alguma coisa que os outros não tem. Mas o quê?

Separei abaixo algumas dicas para tornar nossos textos mais “visíveis” para o leitor final.

Títulos bem trabalhados

Muitos defendem que um bom título é aquele que mostra sobre o que você vai ler no corpo do texto. Em parte é verdade, em parte não.

Ter um título explícito é uma coisa muito boa sim pois mostra ao leitor o que esperar daquele texto. Mas isso não é regra. Outra forma de criação de títulos é criar chamadas que instiguem a curiosidade do leitor. Perguntas, afirmações e até algumas loucuras são bem-vindas.

O que não podemos fazer é criar chamadas que não tenham nada a ver com o assunto abordado ou que não instiguem a curiosidade de quem lê.

A introdução deve ser bem feita
É sempre o primeiro parágrafo de um texto e, tal como o título, deve sumarizar todo o seu conteúdo. Um texto com uma introdução longa e ruim tem a forte chance de ser ignorado antes mesmo do término da sua leitura.

Os parágrafos são nossos amigos

Quer coisa mais irritante que um texto longo sem nenhum parágrafo? São sempre difíceis de se focalizar e acompanhar, o que muitas vezes causa a perda do interesse de continuar lendo.

Para quebrar eficientemente seu texto em parágrafos, quando você terminar um assunto e começar a falar de outro, transponha esse novo assunto para um novo parágrafo.

Contextualize

Não são todos que irão saber do que você está falando. Seja sempre claro e explique tudo o que você quer dizer.

Por exemplo: Use “O site de notícias do Terra é um ótimo veículo de informações.” ao invés de usar “O Terra é ótimo para informações!”.

Seja sucinto

Muitos pensam que o diferencial se encontra na quantidade de informações disponibilizadas. Errado! Na internet, quanto mais informação conseguirmos passar com menos texto, melhor. Temos de lidar com o tempo que o leitor disponibiliza para ler nossos textos, tempo esse que geralmente é curto e muito bem utilizado.

Creio que essas dicas tenham ajudado à escrevermos um pouco melhor. Faça o teste!

About The Author

Empresário (Diretor de Operações da Data Power Team) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

Related Posts

6 Responses

  1. Hiroshi

    Muito bom o post. Sintetizou o que a blogosfera nessecita, ainda mais para aqueles que acompanham mais de 150 feeds.

  2. Carlos Mello

    realmente a principal diferença quanto a técnicas de produção de texto impresso e produção de texto para internet é a clareza, layout, sintese do conteúdo e a objetividade no assunto, afinal o pessoal passa por muitos sites que tem as mesmas noticias e quando encontra um blog que oferece a maioria das notícias com um conteúdo sintetizado e objetivo, se mantém leitor fiel dele.

  3. Bernardo Pina

    Muitos autores de artigos esquecem para quem estão escrevendo. Isso é um problema muito grave… Espero que melhore com o tempo. =)