palestraComo conquistar um cliente? Como se dar bem em uma entrevista de emprego? Como conseguir parceiros para um novo empreendimento. Não adianta, não há escapatória: um dia você vai precisar falar em público. Complicado? Somente se você não souber como contornar as dificuldades de se portar e expor uma idéia na frente de um grande grupo. Dê uma olhada em algumas dicas logo abaixo: 

Não tente minimizar o medo. Todo mundo possui – mesmo que seja só um pouquinho. Tentar eliminá-lo é como nadar contra a maré, é impossível. Já foi comprovado em pesquisa que mais pessoas têm medo de falar em público do que medo de altura ou de insetos. A culpa é toda da tal adrenalina que é liberada no organismo, nos dando aquela vontade de se esconder, vergonha, confusão e gaguejo. 

Existem três causas para se ter medo de falar em público: 

  • A pessoa não sabe sobre o tema que vai falar;
  • A pessoa não tem a mínima prática em se expor para um grande grupo;
  • A pessoas tem falta de auto-conhecimento. É como se fosse uma mistura entre o que o orador acha que deve falar e de como ele vê mesmo a realidade. Quando se confundem os dois, o cara se perde todo, como se fosse um “medo de censura”.

 Calma. Você, que assim como eu, fica nervoso falando em público, saiba que existem técnicas para ficar mais tranqüilo e falar melhor. Olha que ótimo! Seguem abaixo os “10 mandamento para falar bem em público”.

  1.  Não tente eliminar o medo. Saiba que ele existe e se prepare para enfrentá-lo.
  2. Conheça bem o tema que está falando. Isso garante maior segurança ao palestrante.
  3. Organize as ideias que você vai apresentar em um caminho. Assim fica mais fácil para o público entender e você também ficará muito mais tranquilo.
  4. Pratique, nem que seja na frente do espelho. Se possível, grave para ver onde você deve melhorar a sua retórica.
  5. Sempre que estiver em grupo, tente ser participativo. Com o tempo, isto vai inibir seu medo de falar em público e verá que ao falar para 200 pessoas será igual a falar em uma roda de amigos.
  6. Explore suas qualidades: boa entonação, postura correta, voz agradável, vocabulário amplo, bom entendimento, capacidade de conversar ou de entreter os amigos numa mesa de bar, seja qual for.
  7. Cuide a dicção. Tente abrir mais a boca do que normalmente abre para falar (parece piada, mas funciona!). Nada de falar madêra ou janêro – mas cuidado para não ficar algo artificial.
  8. Fale numa velocidade de acordo com o tema e/ou contexto que está explicando. Não é uma missa e nem uma narração de rádio.
  9. Seja expressivo. Gestos, caras e bocas – coerentes com o tema abordado – ajudam no entendimento do assunto, além de prender mais a atenção e não deixar cair naquela velha monotonia.
  10. Demonstre (e se necessário, só demonstre) tranquilidade. Assim você transmite credibilidade ao ouvinte, e isso facilita o processo de comunicação e entendimento.

 Agora… Que tal agendar aquela entrevista de emprego ou aquela palestra pendente?

About The Author

Graduando em Relações Públicas pela UFRGS, trabalhou por dois anos na assessoria de comunicação da CAIXARS, com foco em relacionamento com a imprensa e comunicação interna. Hoje atua como produtor de conteúdo da EZUK Mkt Internet (Porto Alegre) e desenvolve trabalhos externos na área de desenvolvimento de conteúdo, estratégias de marketing digital e planejamento de comunicação. Além disso, é editor do blog Tiro-Livre.

6 Responses

  1. Handerson Carlos

    As dicas aqui bem colocadas, realmente na prática funcionam e dar resultado positivo ao realizador disso. Pois, você cria um protagonismo melhor para cada momento. Ótimas dicas, vale a pena colocar-las em prática!

  2. prato

    Olá Gabriel,

    Que tal você corrigir a concordância do título?
    “[…]os dez mandamentos[…]” em vez de “[…]os dez mandamento[…]”

    no mais, ótimas dicas. Principalmente na que diz respeito a dicção. Pessoas que falam errado ou utilizam o palavreado impróprio tira completamente o foco do espectador (pelo menos o meu foco tirará).

  3. Gabriel Barboza

    Na verdade, vale lembrar que existem dois tipos de erro na comunicação:

    1) Se pronunciar errado.
    Isto pode ser um erro de digitação, ou um estilo de linguagem na TV. Mas vejam bem: de acordo com as técnicas de linguistica, a gramática norteia somente a língua escrita. Existem regras internalizadas em cada pessoa de acordo com seus conhecimentos/experiências, chamada de GRAMÁTICA INTERNA, onde ficam localizados os vícios de línguagem, regionalismos e sotaques. Todo mundo fala “os trabalho”. Mas ninguém fala “o trabalhoS”. Isto é gramática interna.

    2) Comunicar uma mentira.
    Outra coisa, que é MUITO pior, é eu dizer que o presidente Lula morreu, enquanto na verdade ele está vivo. Todo ato de comunicação refere-se a uma atividade de interesse público – e por isso os veículos de comunicação precisam ter as concessões do Governo Federal para funcionarem. Logo, mentir é um desserviço para com a sociedade, e isto sim pode ter resultados relevantes na influência dos públicos (podendo até serem antiéticos).

    Errar é humano. Manipular é antiético – e por assim dizer, errado.
    Então… o que é de fato um erro na comunicação?

  4. Lutz de Mendonça Lopes

    Esse texto é legal, mas para escrever é preciso em primeiro lugar sabe o que esta escrevendo, portanto procure ler muito, porque quem ler escreve e fala bem, mas pratique escrevendo no mínimo uma hora por dia, tenho todo certeza que ficarás muito bom na escrita. Sucesso só quem encontra quem procura. felicidade.

    Muita força nessa hora, bem não é fácil mas não é impossível.

    Sucesso a todos.

  5. Gerusa

    Boa, já vou colocar em prática .
    texto ótimo, muito bom mesmo, vai me ajudar bastante.