Sempre achei repetitivo e me perguntei o porquê de tantos veículos, entre sites, blogs, revistas e jornais, voltados à negóciHuggbyos e carreira fazerem tantas matérias ensinando o leitor a montar seu currículo. Acho currículo uma coisa tão simples que não enxergava qual era o”big deal”, a grande dificuldade das pessoas com isso.

Até que um dia eu mudo de emprego, para um cargo meio de gestão, e me deparo com a necessidade de selecionar dois estagiários que ficariam sob minha supervisão. Nisso, eu percebi: é verdade, as pessoas não sabem fazer currículo.

A primeira análise que eu fiz por alto nos currículos que recebi me fizeram imaginar que a) os estudantes de jornalismo estão muito fracos, precisam aprender um pouco mais de marketing, especialmente o pessoal, ou b) os jovens como um todo estão meio fraquinhos (falou a idosa). Como jornalista, não sei qual das opções é a menos pior.

Daí deu uma vontade de falar com o Bernardo e pedir pra escrever um post sobre isso, uma vez que estava meio afastada do movimento bloguístico devido à correria. Então, vou fazer uma lista comentando dos principais erros, com os respectivos pitacos de alguém que não tem formação nem experiência em recrutamento e seleção mas tem um pouquinho de noção.

  1. Não escreva errado. Tem currículo cujo texto de apresentação tem erros ortográficos grotestos. E olha que não sou nenhuma caga-regras-nossa-língua-portuguesa. Se somar aos erros de coerência e concordância, a conta fica ainda pior. Se a pessoa não consegue escrever certo no CV, não dá nem para terminar de analisar as qualificações. Desculpe!
  2. Não fale como se você vivesse no século 17. “Vossa senhoria”, “encaminho-lhe”, “à vossa disposição”, “conceituada empresa” e daí pra pior. Soa falso. Ninguém fala assim. (Nota do editor: Mas também não deixe o seu currículo totalmente informal.  É possível usar uma certa formalidade sem parecer retrógrado ou exagerado.)
  3. Não use os jargões do mercado corporativo. Tente evitar, pelo menos. Sou “versátil e dinâmico”, pra mim, não diz nada. Será que diz pra alguém de RH? “Buscando oportunidade no mercado de trabalho” eu já sei que você está… Quer falar alguma coisa no corpo do e-mail antes de anexar o currículo? Não custa nada dar uma RESUMIDA na sua experiência – o que for relevante para a vaga – e dizer de onde você é. MAS RESUMA. O selecionador olhará o CV com esse texto ou sem ele, mas uma apresentaçãozinha sucinta não faz mal a ninguém.
  4. Fora do perfil. Bem, eu já devo ter mandado muito CV para vagas para as quais eu não tinha perfil. Mas, olhando pelo outro lado, isso é bem chato. Sei lá, não vou falar pra não fazê-lo porque esperança é esperança…
  5. Adapte seu currículo à vaga. Não interessa se você fala cinco idiomas ou é formado em filosofia se eu não peço nada além de bom português. Ser mais qualificado do que a oportunidade exige pode ir contra você em vez de contar a seu favor. O mesmo vale para dizer que você joga rugby, é formado em balé clássico ou patinação no gelo. Tudo isso é lindo e eu adoraria contratar alguém que se dedicasse a outras coisas além da carreira em si, mas deixe para comentar na entrevista, na hora de bater aquele papo sobre seus hobbies. No currículo, fale o que sobre aquilo que poderá contribuir para que a atividade proposta para a vaga possa ser desenvolvida.

Bem, foi isso o que eu lembrei agora que comecei a escrever sem qualquer pesquisa mais profunda. Não ser um candidato sem noção já é um primeiro e grande passo para você se destacar dos demais. Sua chance certamente será maior.

About The Author

Evelin Ribeiro é jornalista especializada em economia, finanças pessoais e direitos do consumidor. Fundadora e editora do blog Papo Econômico.

6 Responses

  1. Maximiliano Guzenski

    Olá,
    Você conhece o Contratei! É um site para gerenciar o curriculum de forma simples, facil de manter e exporta para PDF.

    http://www.contratei.com/

    Eu sou o desenvolvedor dele, tenho muitas ideias e qualquer sugestão é bem vinda (após logar tem link para postar sua sugestão). Eu esto fazendo o melhor para ele ser o mais livre e flexível possível.

    • Bernardo Pina

      Ótima dica, Maximiliano. Apesar de já terem outras soluções semelhantes no mercado, a idéia é boa. Falta agora achar o seu diferencial. ;)

  2. erick LUCAS

    ola Evelin,gostei mt do seu blog estou cursando automaçao industrial.Ja entreguei uns 150 curriculos e nem entrevista me chamam!meu curriculum esta formatado,bem explicado o que acha que pode ser!?rsrs.SERA QUE UMA FOLHA A4 ME RETRATADA DE TAL FORMA QUE NEM UMA CHANCE POSSAM ME DA???VALEU.

  3. Alguém

    Só uma dica… não é Huggby, é Rugby, se isso estivesse no seu CV, ja estaria desqualificado =D