Se você ainda estiver na faculdade, por exemplo, e perguntam a sua profissão, você responde: estudante. Já parou pra pensar nisso? Ser estudante é uma profissão e demanda tempo, esforço e afinco como qualquer outro trabalho. Claro que isso depende da vontade de cada um, mas a função de estudar é, por si só, trabalhosa. Dá pra acumular mais um trabalho além desse? Pensando nisso, podemos dividir os estudantes em dois grupos:

  1. Os Universitários que recebem ajuda dos pais e se dedicam exclusivamente ao curso
  2. Os Universitários que não recebem ajuda financeira, trabalham durante o dia e estudam a noite

Pensando agora apenas no segundo grupo, é preciso ressaltar o mérito que esse estudante tem por já estar inserido no mercado de trabalho e estar, portanto, um passo a frente daquele que ainda vai adquirir experiência para buscar uma vaga. Entretanto, aliar estudo e trabalho exige planejamento financeiro e de tempo, além de muita dedicação. Nesses casos é quase impossível esquecer que o trabalho é que irá garantir o pagamento das mensalidades da faculdade. Mas antes que você comece a achar tudo muito difícil, entenda: se você souber planejar para dedicar-se às atividades que você se comprometeu, toda dificuldade que você encarar só contará pontos a seu favor. É a tal da experiência de vida…

Livros, malas, mamadeiras, …

O estudante que tem como foco principal a sua formação educacional coloca todos os outros aspectos da sua vida em função desse objetivo. Relacionamentos amorosos, família, amizades, tudo se altera e se envolve com a rotina estudantil. Nesse caminho algumas questões que são fortes influenciadoras na formação do estudante, mas que não podem ser vistas como empecilhos e sim como fatores a serem adaptados a essa realidade.

  • Morar em uma cidade e estudar em outra
    Envolve grande desgaste físico e emocional. Na distância entre as cidades o aluno muitas vezes enfrenta estradas ruins, ônibus (que podem estragar no meio do caminho), falta de tempo, correria, gastos com passagens, etc. Isso fora a saudade da família e amigos da cidade natal.
  • Pagar as contas
    Trabalhar para pagar a faculdade sem a ajuda da família já é um item de peso no orçamento, mas além disso existem as contas de água, energia, luz, telefone e despesas como alimentação e moradia. Ufa!
  • Filhos
    Deve ser talvez a maior dificuldade e responsabilidade, ainda mais quando não se tem a ajuda de outras pessoas. Isso os leva a muitas vezes ter que abdicar de momentos com filhos ou cônjuge para estudar.

Posso descansar agora?

Ah, o final de semana! Momento de descanso e… peraí! Para alunos que trabalham, o fim de semana é a chance de se dedicar mais ao curso, já que de segunda a sexta o tempo é curto. É o momento de se estudar para aquela prova, finalmente ler um livro inteiro ou de digitar aquele trabalho com prazo de entrega já quase vencendo. E quando estudar durante os finais de semana não for o suficiente, o jeito é encarar as madrugadas, estudar a uma, duas ou três horas da manhã. Haja café!

São muitas as dificuldades os universitários enfrentam, não é mesmo? O engraçado é que quando se é adolescente a gente vê aqueles filmes americanos em que o jovem vai para faculdade e lá encontra festas, curtição, namoro… um paraíso. Mas na vida real a história é outra. Sendo um universitário você vai encontrar stress, inúmeras noites mal dormidas ou nem dormidas, tudo em busca de um objetivo final: obter um diploma.

Por que passar por tudo isso mesmo!?

Sonhar com um futuro melhor e acreditar em sua competência te leva a conseguir superar todos esses problemas e até outros que não foram citados. Mas se você enfrenta tudo pela vontade de vencer, enfrentar tudo isso não se resume apenas à questão do diploma. Trata-se de algo muito maior. É a realização profissional, a vontade de trabalhar naquilo que se gosta, de crescer e ser um grande profissional. Por isso, digo: não desanime, continue estudando! Se acaso bater aquela vontade de desistir, pense no seu futuro, pense nos seus sonhos. Você verá que todo esse esforço e dedicação vai valer à pena.

4 Responses

  1. Rômulo Sousa

    Valeu cara pelo apoio!!.. Li seus artigos são muito bons.. e consegue transmitir a mesma mensagem a qual passei aqui… parabéns!!..

  2. Simone

    Eu diria que estudar no Brasil é sempre algo vergonhoso. Tipo, não se dá o devido valor. E, poucos, mais poucos realmente chegam lá. Sou formada há 3 anos e não consigo trabalho. O que mais vejo são vagas de estágio e por isso até voltei a faculdade. Mas, é deprimente ganhar R$ 600 por mês. Até porque moro só e pago algumas contas.

    Ainda assim, sinto orgulhosa por ter terminado a graduação. Sei que estudei, que levei a sério. Não estava lá para fazer amigos nem ir a festas. Quando formei, me senti o máximo. Hoje sei o fosso que é. Mas, ajuda a aumentar a estima sim. O fato de ter cumprido uma etapa.

  3. Lucas cerri

    Achei o artigo razoável, pois quem decide por pagar uma faculdade é quem não quis enfrentar um vestibular de verdade, ou sair do conforto dos pais. Então optou por pagar uma. Acredito que o período da universidade deve ser prioridade os estudos. Por não ser prioridade é que o mercado está cheio de diplomados incompetentes e mal qualificados. Todos dizem que o Brasil não dá assistência a educação, mas quando recebem a oportunidade não a utilizam como devem.