Bom, em primeiro lugar, vamos à uma definição:

“Dá-se o nome de feedback às ações que têm seu efeito informado claramente para uma pessoa a fim de permitir ajustes nas futuras ações. Assim, por exemplo, o termômetro do carro tem uma ação de feedback ao informar ao motorista a temperatura do motor e ajudar-lhe a tomar a decisão de desligar o carro, caso ela esteja alta.”

A coisa toda é fácil entender. Muitas pessoas acham até que seja fácil fazer. E é! O problema é que a maioria não entende o objetivo e faz tudo errado.

Considerem um profissional de TI dando a sua primeira palestra para um público grande. Muitas coisas se passam na cabeça de um indivíduo nessa situação. Quando a palestra terminar, a primeira coisa que ele irá fazer é perguntar para alguém como foi a palestra. Essa solicitação é uma solicitação de feedback.

Ok, agora sabemos o que é e uma situação em que seria útil pedi-lo. Mas como fazer um bom feedback?

Ainda no caso do palestrante, o que temos que pensar é o que ele quer saber quando fez a solicitação do feedback. Se eu estivesse no lugar dele, estaria querendo saber sobre minha postura, sobre minha dicção, sobre o tema abordado, se foi bem abordado, se andei muito falando, se falei pouco, se enrolei, etc.

O que o palestrante quer saber é sobre ele. Opiniões são sempre bem-vindas, mas para ele, o que realmente importa é saber o que ele fez, como ele fez e o que ele não fez. Portanto, quando alguém lhe solicitar um feedback, faça uma análise completa sobre o acontecimento e o detalhe bem para o solicitante pois é isso que ele quer ouvir!

About The Author

Empresário (CEO da agência de comunicação PIBIT) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

  • Bruno (TaRuGo`)

    O Feedback é realmente uma posição de difícil alcançe, tira-se daí a influência que ela sofre se mal escolhida o meio de comunicação a ser usada para o fim. Pegue o exemplo aplicado, a indagação de tal feedback (retro-alimentação :P)
    será de total influência se for de modo direto a pessoas de seu circulo de intimidade, será provavelmente declarações de pontuais erros e diretrizes esquecidas, já de pessoas que não são diretamente ligadas a você, provavelmente perceberão muitas coisas, porém não terão coragem de fazer quais quer comentários pois não seria educado. Um bom feedback tem uma analise toda para ser definido e se espera que desse tenha uma mudança ou resposta, olhe o exempo de uma URA (Unidade de Resposta Audível), que são usadas em empresas de CallCenter, A Verificação de uma pesquisa aplicada ao serviço é testada por meios estatísticos onde notas máximas e mínimas são desconsideradas (0 e 10) por trazer forte influência a média final ponderada. Acredito que o uso da “Moda” (De estatísta! lembra?) será de maior valor, considerando que seram apenas obitidos resultados mais vezes recebidos e considerados como termometro para a qualidade do serviço. =)

  • http://www.bernardopina.net/ Bernardo Pina

    Sempre temos o desvio padrão ao se considerar dados estatísticos. Dados que fogem ao desvio padrão são excluídos para se ter uma média mais perto da realidade.

  • http://www.cantodalu.blogspot.com Lu

    Muito interessante seu blog!
    Eu sou professora (entre outras funções) e tento sempre pedir feedback, principalmente das turmas de adultos. Faço uma atividade onde o resultado final são idéias do que eles gostariam que eu continuasse fazendo, tarefas que eles preferem não fazer novamente e coisas que eu nunca fiz mas poderia fazer. O aluno se sente respeitado e vê que sua opinião é importante. Bjs

  • http://www.bernardopina.net/ Bernardo Pina

    Feedback é algo que em teoria, é eficiente, mas na prática não sai eficiente por que as pessoas não sabem faze-lo corretamente. Sucesso na suas aulas, Lu! =)

  • Pingback: Promoção de final de ano do Produzindo.net | Produzindo.net

  • Pingback: Ainda dá para participar | Produzindo.net