Para mim, organização pessoal já é um assunto batido. Há tempos que eu busco informações sobre esse tema para compartilhar com todos vocês. Sempre considerei que sei me organizar muito bem, e que tenho ao meu dispor uma série de ferramentas que vão me ajudar nessa organização até o momento em que… eu me encontro completamente desorganizado, me perguntando como eu cheguei até aquele ponto e como eu vou botar tudo nos eixos.

Bem, acho que chegou a hora de dar uma reciclada em um dos mais conhecidos e práticos métodos de organização que eu conheço, o GTD (Getting Things Done, ou A arte de fazer acontecer, do David Allen). E nada melhor do criar um texto para vocês para repassar o conhecimento dessa minha aventura, certo?

gtd

A idéia é criar uma série de textos em que vou explicando o que é o método GTD, passando etapa por etapa do método e mostrar a aplicação do método com alguma ferramenta que ainda decidirei qual é. Por hora, vamos começar do começo…

O que é GTD?

GTD vem do termo, em inglês, Getting Things Done (traduzido oficialmente para o português como “A Arte de Fazer Acontecer”), e é nada mais nada menos que um método simples e altamente eficiente de organização pessoal. Publicado por David Allen em 2002, vêm ajudando uma enorme quantidade de pessoas ao redor do mundo a se organizar e a, de fato, completar as atividades a que se propuseram a realizar.

As idéias de David Allen são elaboradas em tópicos simples e bem fáceis de se colocar em prática. Algo que ele deixa bem claro logo no início do seu livro é:

“A nossa habilidade de executar tarefas é diretamente proporcional à nossa habilidade em deixá-las para depois”

É preciso, portanto, criar uma base para que comecemos a nos organizar.

Objetivo deste método

O maior objetivo do GTD é tirar da sua mente todo o tipo de informação que não esteja diretamente ligada à tarefa que você se propôs a executar no momento. Ou seja, você deve estar com a cabeça livre para se focar totalmente na atividade que deseja realizar.

O problema é que isso não é uma coisa muito simples. Quando você começa a realizar uma atividade X, muitas vezes a sua cabeça vai longe na sequência de atividades e você já começa a pensar lá na frente sem ao menos ter começado a realizar a primeira tarefa para cumprir aquela determinada meta. Ou seja, é muito fácil a nossa cabeça pular estágios ou simplesmente se perder em pensamentos.

O GTD define uma série de passos que vão auxiliá-lo a organizar todas essas idéias de uma forma que você consiga se dedicar integralmente a cada uma das atividades, sem se preocupar tanto com o que tem para ser feito mais pra frente.

Fases do GTD

Todo o método se baseia em 5 etapas:

  1. Etapa da Coleta
  2. Etapa do Processamento
  3. Etapa da Organização
  4. Etapa da Execução
  5. Etapa da Revisão.

Todas essas cinco etapas serão elaboradas ao longo desta série. Por hora, vou deixar para vocês uma imagem que ilustra todo o processo do GTD, um diagrama de fluxo baseado no que foi apresentado por David Allen no seu livro. Com ele, já é possível ter uma boa idéia de como funciona todo o processo.

Clique para ampliar.

gtd-guia-referencia

Ao longo desta série de artigos, vamos elaborando cada uma destas etapas. Na semana que vem iremos falar um pouco mais sobre a etapa da Coleta. Fique atento!

Links para todos os artigos da série:

  1. GTD (Getting Things Done): Parte 1 – Introdução
  2. GTD (Getting Things Done): Parte 2 – A fase da coleta
  3. GTD (Getting Things Done): Parte 3 – A fase do processamento
  4. GTD (Getting Things Done): Parte 4 – A fase da organização
  5. GTD (Getting Things Done): Parte 5 – A fase da revisão
  6. GTD (Getting Things Done): Parte 6 – A fase da execução

Links para textos complementares:

  1. GTD – Quais são minhas caixas de entrada?
  2. GTD – Sugestões de itens que podem ir direto para a pilha de descarte

About The Author

Empresário (Diretor de Operações da Data Power Team) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

14 Responses

  1. Diego Mangabeira

    Parabéns pelo post, Bernardo! Estudo bastante a Produtividade e como ela pode nos ser favorável em busca da realização de nossos sonhos. Muito sucesso!

    Responder
    • Bernardo Pina

      Obrigado, Diego. Não deixe de conferir os outros posts da série. =)

      Abraço!

      Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*