Há algumas semanas, falamos sobre a fase da coleta do GTD, onde você reúne todos os itens que precisam de algum tipo de ação na sua vida, ou que servem apenas como referência futura. Um dos pontos críticos desta fase é o descarte de itens desnecessários.

Conversando com alguns dos nossos leitores, reparei numa certa dificuldade deles em definir o que podem ou não descartar, pois eles acreditam que a maioria dos itens que separaram nas suas Caixas de Entrada podem ser úteis algum dia. Bom, eu não tenho noção da realidade de cada um, mas posso dar sugestões de itens que geralmente podem ser descartados sem medo.

Esse é o meu objetivo hoje: fazer uma lista simples de itens que você já pode procurar nos seus arredores que provavelmente podem ser descartados, facilitando um pouco a sua vida na fase da coleta.

Antes de mais nada, entenda que itens descartados não são necessariamente lixo

organizacaoPreparei uma lista com muitos itens que podem ser descartados nos nossos arredores. Contudo, é de extrema importância que fique claro o conceito de descarte. Itens descartados não são necessariamente itens que vão pro lixo. Por exemplo, um sapato velho que só está pegando poeira na sua casa pode muito bem ser doado para um abrigo ou para alguém que precise deles, uma pilha de jornais velhos pode ser destinado a uma cooperativa de reciclagem e pilhas/baterias precisam ser descartados em lugares específicos para não causarem danos à natureza.

Assim, entenda que meu objetivo aqui é simplesmente dar idéias para você procurar itens que possam ser removidos da sua realidade, seja para o lixo, seja para entidades de reciclagem, seja para doar para quem precise ou até mesmo para vender em um bazar ou brechó.

Dê uma volta pela casa

As vezes, tendemos a organizar apenas um pedaço da casa porque é ele que nos irrita quando vemos tamanha bagunça. O problema é que possivelmente, existem outros lugares que também estão precisando de organização e muitas vezes os deixamos de lado simplesmente por questão de foco.

Assim, leia a lista que coloquei logo abaixo e dê uma volta pela sua casa (escritório, apartamento, loja, etc) buscando os itens que estão nela. Você irá se surpreender com a quantidade de coisas desnecessárias/inúteis que irá encontrar.

Sugestões de descarte

  • Revistas antigas
  • Jornais antigos
  • Encartes de mercados e lojas
  • Revistas de propaganda de produtos
  • Embalagens vazias de produtos e presentes
  • Papéis de presente rasgados inúteis
  • Remédios fora de validade
  • Cosméticos fora de validade
  • Comida fora da validade na geladeira e dispensa
  • Outros itens fora de validade
  • Plantas que morreram por qualquer motivo
  • Canetas descartáveis secas e/ou sem carga
  • Caixas vazias
  • Garrafas vazias
  • Brinquedos inúteis (tipo o brinde do Mc Lanche Feliz)
  • Brindes inúteis
  • Esponjas, panos de prato e produtos de limpeza velhos
  • Potes de sorvete vazios
  • Sapatos e tênis velhos que não podem ser reparados
  • Roupas velhas com tem furos ou que simplesmente não podem ser reparados
  • Meias sem par
  • Elásticos velhos
  • Papéis rascunhos temporários
  • Itens em geral que não tem utilidade
  • Papéis e livros de faculdade
  • Trabalhos de escola das crianças
  • Roupa das crianças que não cabem mais
  • Calçados e acessórios das crianças que não cabem mais
  • Livros escolares antigos
  • Panelas, potes e utensílios que você não usa mais ou não gosta mais
  • Listas telefônicas antigas
  • Calendários velhos
  • Disquetes (muita gente ainda os tem)
  • CDs e DVDs inúteis
  • CDs e DVDs que não funcionam mais
  • Cabos sem utilidade
  • Programas antigos de computador
  • Pilhas e baterias velhas
  • Acessórios antigos e inúteis de computador
  • Posters que nunca foram e nunca vão ser utilizados
  • Velas queimadas
  • Coisas em geral que você sabe que nunca utilizará
  • Frascos vazios de shampoos, hidratantes, etc.
  • Roupas de baixo velhas
  • Artigos de cozinha quebrados
  • Artigos de escritório quebrados
  • Artigos de computador quebrados, que não tem conserto
  • Óculos de sol velhos e/ou quebrados, que você sabe que não consertará e não usará mais
  • Registros médicos antigos que não tem mais relevância
  • Lençóis e fronhas velhos sem conjunto
  • Travesseiros e colchões velhos
  • Perfumes velhos ou que você não gosta
  • Imas de geladeira que não servem mais (principalmente os de propaganda)
  • Material de artesanato que não é utilizado há muito tempo
  • Folhetos de propaganda em geral
  • Fitas de vídeo que não funcionam mais
  • Contas velhas já pagas
  • Correspondências sem importância
  • Livros velhos que você leu, não gostou e não recomenda

Dica importante: Transforme o físico em digital

Você deve ter reparado que muitos dos itens acima estão marcados com um asterisco (*), certo? Estes são itens que você pode escanear e guardar em meio digital (no seu computador) ao invés de guardar em meio físico. Ocupa muito menos espaço na sua vida.

Pense comigo… Muitas vezes você quer guardar uma revista velha por causa de uma única matéria ou artigo. Porque não escanear as páginas que te interessam, guardar isso no computador e jogar a revista fora? Ocupa MUITO menos espaço e diminui a “tralha” inútil na sua vida.

-

Bom, é isso aí. Para finalizar, só queria frizar mais uma vez que descartar não significa jogar no lixo. Descartar significa doar, reciclar, vender e jogar no lixo. Se você tem mais itens que acredita que são comuns a todos, e não estão nessa lista, deixe um comentário logo abaixo e compartilhe conosco.

Links para todos os artigos da série:

  1. GTD (Getting Things Done): Parte 1 – Introdução
  2. GTD (Getting Things Done): Parte 2 – A fase da coleta
  3. GTD (Getting Things Done): Parte 3 – A fase do processamento
  4. GTD (Getting Things Done): Parte 4 – A fase da organização
  5. GTD (Getting Things Done): Parte 5 – A fase da revisão
  6. GTD (Getting Things Done): Parte 6 – A fase da execução

Links para textos complementares:

  1. GTD – Quais são minhas caixas de entrada?
  2. GTD – Sugestões de itens que podem ir direto para a pilha de descarte

About The Author

Empresário (CEO da agência de comunicação PIBIT) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.