Para quem vê de fora, parece muito fácil obter lucro gerenciando uma empresa, basta aplicar as devidas ferramentas de gestão. Porém, certas ações exigem recursos que nem sempre a companhia pode dispor. A maior prova disso é que o marketing (forma de trazer clientes antigos e captar novos) é sempre o último investimento das empresas.

Em virtude disso e de outros fatores, as micro e pequenas empresas possuem uma grande dificuldade em alavancar os seus empreendimentos. Só que elas ainda precisam ter rentabilidade. A alternativa? Enxugar custos.

Enfim, existem várias maneiras da sua empresa obter lucro, seja rendendo mais, gastando menos, investindo financiamentos, etc. Todas são importantes para o bom andamento do negócio, desde que realizados da maneira adequada. Afinal, o lucro é a forma como você avalia o andamento da empresa.

lucro-01Como obter lucro e crescer

Você é um engenheiro mecânico. Começa a produzir peças customizadas para automóveis. Quando vê, sua demanda começa a crescer tanto que você nem tem tempo para tentar fazer novos produtos – e na verdade, você se tornou um administrador. Geralmente é assim que começam as micro e pequenas empresas. Um cozinheiro monta um restaurante, um advogado monta um escritório, dentre outros.

Sendo assim, nem todas as empresas de pequeno porte possuem um modelo de gestão – e isso faz parte da tradição da empresa, que o dono acha que vai bem porque possui lucro há 15 anos.

Que fórmula é essa que faz a empresa andar? É o lucro improdutivo, ou seja, quando você consegue ter uma boa arrecadação, mas não necessariamente a sua empresa cresce. A empresa se desenvolveu por ter uma boa representatividade e rede de contatos em uma época passada e se estagnou. É provável que sobreviva, no máximo, por uns 10 anos. Em vez de pensar em crescer, quando as vendas estão baixas, alguém é demitido e tudo volta a ser como antes – mas na verdade a empresa está decrescendo sua produção. Isso é mais contraproducente quando se influi em uma área comercial ou de pesquisa. É como dirigir uma Ferrari e andar como um Fusca.

Muitas vezes, a empresa necessita mesmo enxugar gastos para sobreviver, e a maior prova disso é a crise econômica mundial, que faz com que cada dia centenas de pessoas percam seus empregos. Porém, cada caso é um caso. Isso varia de acordo com o panorama atual da empresa, e para avaliar é importante que se tenha um planejamento anual. Se os gastos são excessivos conforme o esperado, enxugar no local mais improdutivo é uma alternativa. Se as vendas estão abaixo do preestabelecido, é interessante entrar em contato com a área comercial para pegar algumas informações.

É um saco ir em uma loja onde um vendedor fica lhe empurrando um produto que você não quer. Isso também pode ser considerado lucro ruim, pois você leva, mas não sai satisfeito, o que pode fazer com que a empresa perca o cliente. Neste aspecto, as comissões podem ser um gol contra, pois seu vendedor fica mais interessando em vender do que em manter um bom relacionamento com o comprador. E é neste ponto que entra o modelo de gestão organizacional: é necessário que a missão, visão e valores da empresa estejam bem inseridos no dia-a-dia dos colaboradores, e não somente os seus salários.

O melhor vendedor da sua empresa não lhe dá nenhum custo, pois é o seu próprio cliente. Quando ele está satisfeito, acaba voltando à sua empresa sem nem precisar ver alguma publicidade do seu empreendimento. Isso nada mais é do que o fruto de um bom atendimento e respeito com quem faz o seu empreendimento render. Se sua empresa não possui muitos recursos, um bom vendedor pode ser a melhor estratégia de marketing da sua empresa.

Conseguir dinheiro não é difícil. Lucrar e crescer é.

About The Author

Graduando em Relações Públicas pela UFRGS, trabalhou por dois anos na assessoria de comunicação da CAIXARS, com foco em relacionamento com a imprensa e comunicação interna. Hoje atua como produtor de conteúdo da EZUK Mkt Internet (Porto Alegre) e desenvolve trabalhos externos na área de desenvolvimento de conteúdo, estratégias de marketing digital e planejamento de comunicação. Além disso, é editor do blog Tiro-Livre.

Related Posts

4 Responses

  1. Gustavo Winkelmann

    Excelente Artigo!

    Sou Assistente Executivo da ActionCOACH PR/SC (empresa de coaching de negócios), e uma das maiores barreiras que enfrentamos com micro, pequenos e médios empresários são os “lucros improdutivos” como citado no artigo.
    São milhares de “comerciantes” que ganharam dinheiro e construíram patrimônios há 5, 10, 20 anos atrás e acham que se continuar como antes obterão resultados.
    No nosso contato para que mudem essa percepção do próprio negócio, eles relutam e ainda se sentem ofendidos quando ouvem que estão errados.

    Parabéns!

  2. Bernardo Pina

    O mundo não para e os empresários têm que ficar atentos à essas mudanças. Parabéns pelo artigo, Gabriel!

  3. Rafael Rehm

    Deixo meus parabéns, o texto de “Lucro é dinheiro?” retrata muito bem as questões abordadas. Participo de projetos de criação de empresas e esta é a impressão qe se tem no dia a dia. Valeu Gabriel