Há alguns anos um aventureiro bilionário chamado Steve Fossett quebrou o record de viajem ao redor do mundo… Sozinho. Foram apenas 60 minutos de sono em 67 horas de vôo. Esses 60 minutos foram quebrados em cochiladas de dois a três minutos cada.

“Eu dormi quando precisava e sempre acordava renovado.”

Então, o que torna um cochilo em uma fonte de energias? O que o diferencia de uma boa e longa noite de sono?

Pense no no cochilo como um investimento no menor tempo possível com um maior retorno que você já viu. Cada dia que passa temos menos tempo para realizar as nossas atividades pessoais, para nosso lazer e até para dormir. Tirar alguns minutos de sono faz muito bem à saúde pois recarrega nossas baterias para continuar o nosso dia.

“Ok, faz bem a saúde. Mas o que exatamente é beneficiado?”

O funcionamento do coração, gerenciamento de hormônios e cicatrizações, diz a Dra. Sara Mednik, cientista do Salk Institute à frente dos estudos sobre o sono.

“Esses cochilos rápidos ajudam na recuperação e manutenção de pacientes maximizando esses benefícios. Isso acontece quando o paciente entra e sai da fase de sono rejuvenescedor rapidamente.”, diz Mednik.

Como funciona?

O sono se divide em cinco estágios cíclicos durante a noite (cada ciclo durando de 90 a 120 minutos). Um cochilo eficiente inclui apenas os dois primeiros estágios. A primeira fase visa levar a pessoa a dormir diminuindo as descargas elétricas no cérebro, movimento dos olhos, movimento dos músculos e a respiração. A segunda fase é onde o corpo recebe uma carga de hormônios que visa o relaxamento como preparação para as próximas fases. Aqui, seus neurônios ainda estão em atividade e quando você acorda, você não só se sente bem e renovado como consegue raciocinar bem mais rápido do que antes.

Problemas

Um problema muito comum é quando o tempo de durção do sono se alonga o suficiente para entrarmos no terceiro estágio do sono. Se isso acontecer, é provável que o efeito seja o inverso do esperado. Na terceira fase do sono, os neurônios entram em estado de dormência. É o chamado sono profundo. Se acordamos durante esse estágio, iremos enfrentar uma dificuldade maior de raciocínio pois nossos neurônios estão “dormindo” e temos que acordá-los!

Tirando um cochilo perfeito

Todos nós temos a capacidade de fazer o proposto acima, mas para isso é necessário respeitar algumas regras. A Dra. Sara Mednik tem algumas dicas:

  1. Reconheça que você está precisando dormir e saiba que um cochilo irá torná-lo muito mais produtivo depois que você acordar;
  2. Tente cochilar de manhã ou, no máximo, depois do almoço. Estudos nos falam que a parte da tarde nos torna mais suscetíveis a entrar em sono profundo, o que pode nos deixar com raciocínio afetado (grogue).
  3. Evite consumir grandes quantidades de cafeína e de comidas que tem muita gordura e açúcar. Esses alimentos drenam a nossa capacidade de dormir bem. Ao invés disso, uma ou duas horas antes do cochilo, prefira alimentos ricos em cálcio e proteínas.
  4. Escolha um lugar limpo e calmo, livre de telefones e outros incovenientes.
  5. Tente deixar o local mais escuro ou use um protetor. Escuridão estimula a melotonina, o hormônio do sono.
  6. Lembre-se que a temperatura do corpo cai quando dormimos. Aumente a temperatura do local ou use um cobertor.
  7. Com o ambiente preparado, prepare um alarme para a duração de sono desejada (veja abaixo).

Quanto tempo deve durar?

10 a 40 segundos: Estudos do sono ainda não concluíram os benefícios desses intervalos breves. Eles são aqueles momentos que nós dormimos no ônibus (as vezes caindo sobre o ombro de alguém).

2 a 5 minutos: Surpreendentemente efetivo no combate à sonolência.

5 a 20 minutos: Melhora nosso estado de alerta, nossa stamina (força física), aprendizado e performance.

20 minutos: Esse é o tempo ideal. Inclui todos os benefícios acima e ainda melhora a memória muscular e limpa o cérebro de informações inúteis, o que aumenta a produtividade da nossa memória.

50 a 90 minutos: Bom para melhorar a nossa percepção. Também ajuda no reparo de ossos e músculos.

Espero que você tenha entendido um pouco sobre o nosso sono. Agora temos condições para poder determinar quanto tempo irá durar a nossa cesta ou aquele cochilo antes das aulas. São todos muito benéficos, desde que feitos da forma certa.

Fonte: Men’s Journal

Update: Ao Chato de Plantão (nome pelo qual ele se identificou no comentário) que ajudou mostrando um problema no post, obrigado. Mas peço à quem quiser ajudar de qualquer forma, que se identifique no comentário ou através de um email válido pelo formulário de contato. Dessa forma poderei agradecer as dicas de forma eficaz. =)

12 Responses

  1. Daniel Docki

    hmmm, legal
    já tinha visto algo na TV
    eu durmo das 12:30 até 13:10

    renova mesmo, dai eu toco até meio noite ou mais…bem bom essa cesta do meio dia :P

  2. Daniel Docki

    Bernardo, tipo eu moro no interior do RS, cidade pequena, tudo perto, aonde eu trabalho minha casa fica 15 min…é bem longe, mas o transito é rapido a coisa anda por aqui….

    E na essência prefiro uma cidade de pequeno porte , mas com um bom salário, qualidade de vida excelente…não achas???

  3. Matheus Veríssimo

    Bacaníssima a dica! Antes achava que quanto maior o cochilo, maior o benefício.

    Agora além de economizar tempo, vou me sentir melhor após os cochilos.

    Abraço!

  4. Bernardo Pina

    Daniel, meu sonho era morar e fazer vida/carreira no interior do RS. Fui pra serra gaúcha ano passado… Deve ser muito bom!

    Matheus, fico feliz em ter ajudado. Esse é sempre o meu objetivo com os artigos que posto aqui! =D

  5. andrey tiepo

    Olha, eu sei que existe uma técnica onde o “cochilo” é realizado em qualquer lugar, sendo que ainda, pode ocorrer em pé! O mais interessante é que as pessoas que praticam este tipo de sono, lembram de tudo o que ocorre ao seu redor, sons, falas,,,,
    um colega meu desenvolveu esta técnica, porém, reside hoje fora do Brasil e nunca consegui contato,
    Como acontece este cochilo???
    se tiverem informações, sou muito interessado em aprender.
    Obrigado,
    Andrey Tiepo.

  6. Bernardo Pina

    @Andrey: Esse tipo de cochilo acontece porque você entra no primeiro estágio do sono onde os sentidos ainda estão funcionando perfeitamente. Por causa de algum motivo que varia de situação e de pessoa, sua mente não passa para o próximo estágio, ficando atenta à tudo que acontece em volta. No meu trabalho eu tenho um colega que tira esse tipo de cochilo. No caso dele, acho que ele não passa para o próximo estágio do sono por medo do chefe chegar de repente… rsrs

  7. andrey tiepo

    Bernardo, entendi sua colocação, inclusive muito pertinente.
    Agora, existe uma forma de controlar este cochilo?? em outras palavras, existe hipótese de aprender uma “técnica” para cochilar desta maneira.
    * Quero citar exemplo do ex-Governador do Estado de Santa Catarina, Esperidião Amim, ele possui uma maneira de cochilar em público, e após, pronunciar-se usando das palavras de outras pessoas que anteriormente havima falado”
    Técnica??? ou simplesmente normal???
    Abraçoo

  8. Bernardo Pina

    @Andrey: Não acho que todos consigam se beneficiar desse tipo de cochilo facilmente. Para algumas pessoas isso pode requerer algum treino. Para se treinar, tente colocar o despertador do seu relógio de pulso para despertar de 7 em 7 minutos. Isso porque quando você passa dos 10 minutos de sono, já é arriscado você entrar num estágio de dormência dos seus sentidos. Não sou especialista no assunto mas acho que essa é uma forma de se treinar para conseguir isso. =)

  9. Daniele

    Eu trabalho frenéticamente, muitas vezes cerca de 12 horas por dia, mas nao abro mão de cochilar entre 10 e 20 minutos após o almoço, pode ser em qualquer sala de reunião que esteja desocupada, sala das impressoras, do ar condicionado… qualquer canto escuro e garanto, meu rendimento é muito melhor. Nas poucas vezes que nao consigo fazer essa pausa sinto como se meu corpo estivesse de ressaca.
    Abraços.