Volta e meia ouvimos falar sobre a taxa SELIC pelos vários meios de comunicação (radio, televisão, jornais, revistas, etc.), mas poucos sabem o que é e como o seu aumento ou queda influencia as nossas vidas. Pensando nisso, hoje eu quero ajudar você a entender essas e outras questões. Vamos lá?

economia-00

O que é SELIC?

Antes de sabermos o que é a taxa SELIC, precisamos saber o que é SELIC. O SELIC (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) é um sistema informatizado que foi criado para gerenciar a emissão e negociação dos títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional.

Os títulos públicos são uma espécie de empréstimo que o governo faz com pessoas físicas e jurídicas. Pense nesse título como se fosse uma nota promissória ou um empréstimo que o governo faz falando que vai te pagar o dinheiro que você emprestou pra ele em um tempo determinado a uma taxa de X% de juros.

E afinal, o que é a taxa SELIC e por que ela é chamada de “taxa básica de juros”?

Pois bem, a média diária dessas taxas de X% que eu mencionei logo acima é a famosa taxa SELIC e serve como referência para todas as outras taxas que existem na nossa economia.

“Certo, mas por quê?”

Vamos parar pra pensar… A taxa de juros de qualquer empréstimo comum é geralmente norteada por dois fatores:

  1. Quantidade de tempo que vai demorar para receber o valor emprestado e o lucro de volta
    Quando emprestam o seu dinheiro, os bancos querem esse dinheiro de volta o mais rápido possível juntamente com o lucro que obtiveram nesse empréstimo. Se o tempo para receber é maior, a taxa de juros também tem que ser maior para compensar o tempo que o banco ficará sem esse dinheiro.
  2. O risco da inadimplência
    Existem várias formas de se medir se uma pessoa tem ou não boas chances de se tornar inadimplente e não pagar o valor devido. Quanto maior a chance da inadimplência, maior tem que ser os juros para que os bancos se resguardem no caso do não pagamento do valor devido.

De forma geral, quanto maior o risco e quanto maior for o prazo, maiores serão as taxas. No caso dos títulos públicos, quem deve dinheiro é o governo. Como eu disse lá em cima, um título público é um empréstimo que o governo faz com quem compra o título e se pararmos para pensar, o risco de inadimplência quando se trata do governo é mínimo.

Acontece que uma das operações mais seguras do mercado é feita entre os bancos, aonde eles pedem dinheiro emprestado entre si por apenas um dia e oferecem seus títulos públicos como garantia do empréstimo. Assim os bancos devedores conseguem cobrir buracos no orçamento e os bancos credores conseguem lucrar com essas negociações de baixíssimo risco (prazo curtíssimo de um dia e tendo como devedor o governo).

Agora pense comigo… Se essa operação utiliza como garantia os títulos públicos, se esses títulos têm seus juros baseados na taxa SELIC e se essa operação é uma das mais seguras do mercado, todas as outras operações mais arriscadas irão tomar a taxa SELIC como referência para fazer o cálculo das suas taxas. Sendo assim, a ela acaba se tornando referência para todas as taxas da economia brasileira e se torna a conhecida “taxa básica de juros”.

Curiosidade! Existe também uma nomenclatura para a taxa de juros que é cobrada nos empréstimos entre os bancos. Ela é chamada de taxa DI (Depósito Interbancário) e é calculada fazendo-se a média das taxas cobradas em todos os empréstimos interbancários no decorrer de um dia.

 

A sua influência nas nossas vidas

Certo, você finalmente conseguiu entender o que é a taxa SELIC, por que ela é chamada taxa básica de juros e até o que é a taxa DI. Mas como que essas taxas todas influenciam nas nossas vidas?

Bem, basicamente através do crédito e da inflação.

1. No crédito

Querendo ou não, a nossa vida como consumidores é extremamente influenciada pelas taxas de juros dos empréstimos e financiamentos que contraímos para comprar imóveis, carros, produtos eletro-eletrônicos, etc. Agora me diga uma coisa… Você já parou para pensar de onde vem todo o dinheiro que nos é emprestado nesses financiamentos e empréstimos?

Dos bancos e financeiras, é claro. Essas entidades nos disponibilizam esse dinheiro a uma taxa de juros para que possam lucrar em cima de nós, pois sempre nos cobram juros mais altos dos juros que pagam nos seus empréstimos. É aqui que a taxa SELIC começa a influenciar as nossas vidas… Se ela influencia as taxas de juros dos empréstimos interbancários (dinheiro ao qual eles usam muitas vezes para nos fornecer o dinheiro que nós pegamos emprestado), consequentemente ela influenciará os juros que os bancos irão cobrar de nós.

Ou seja, quanto maior é a taxa SELIC, teoricamente maior serão os juros cobrados nos financiamentos e empréstimos.

2. Na inflação

Você não sabe o que é inflação? Clique aqui e leia esse excelente texto para entender do que se trata.

Como visto acima, o crédito é altamente influenciado pela taxa SELIC e por consequência, o poder aquisitivo da população também (se existe crédito barato na praça, com certeza será muito mais fácil de comprarmos a tão sonhada televisão de plasma de 42 polegadas a “suaves” parcelas de R$200,00). Agora aqui vai uma nova informação: a taxa de inflação está diretamente ligada ao poder aquisitivo da população.

O aumento da inflação significa duas coisas:

  1. Os preços dos produtos estão aumentando
  2. O poder aquisitivo da população está diminuindo

Se tivermos mais dinheiro para comprar os produtos que desejamos e se tivermos mais crédito para financiar esses produtos, a lei da oferta e da procura dita que os preços irão subir por causa do aumento da demanda sobre esses produtos. É aqui que começamos a ver a inflação aumentando.

Se pararmos para puxar a memória, provavelmente lembraremos algumas declarações do presidente da república falando sobre o aumento na taxa básica de juros para controlar o aumento da inflação. Se a taxa básica (taxa SELIC) aumentar, o crédito na praça será mais caro, as pessoas irão pensar mais cautelosamente antes de contraírem dívidas e consequentemente a procura por produtos irá diminuir. Assim os preços irão novamente reduzir e a população poderá comprar mais.

-

Bom, essa foi a melhor forma que encontrei de explicar tudo. Você ainda tem dúvidas? Deixe um comentário logo abaixo e compartilhe-a com todos!

(créditos da foto para stock.xchng)

About The Author

Empresário (CEO da agência de comunicação PIBIT) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

  • Lidiane

    Muito bom mesmo!!!!
    Sempre quis entender melhor sobre a Selic, obrigado.

  • Adriane

    Olá, gostei muito da explicação sobre a taxa Selic. Mas uma coisa eu não consigo entender. Porque o governo não tenta estabelecer uma taxa onde seja bom para eles e para o povo, para os consumidores? Assim muitos não vão arriscar a comprar produtos e ficar com o nome sujo na praça, vão pensar duas vezes antes de querer consumir algo.E com isso, o governo terá de baixar as taxas de jurus e rever seus conseitos, só assim, quem sabe o povo volte a consumir os produtos tão desejados.
    Desde já, grata pela atenção.

    • http://www.produzindo.net/ Bernardo Pina

      Adriane, os juros são aumentados pelo governo para conter a inflação. Se os consumidores sairem para as ruas e aumentar muito a taxa de consumo, haverá muito dinheiro em circulação e isso irá fatalmente aumentar a inflação.

      Então, para que fique claro, o objetivo do governo ao aumentar a taxa de juros, é justamente conter um pouco o consumismo para que, ao mesmo tempo, possa conter a inflação.

  • Daniele F de SOuza

    UFAAAAAAAAAAA!! CONSEGUI ENTENDER O QUE É A SELIC. MUITO BOA SUA EXPLICAÇÃO.

  • Flaviano da Silva Alcantara

    De todas as pesquisas que fiz sobre o assunto, essa foi a que consegui entender. Valeu mesmo sua explicação. Obrigado.

  • Giordano Tronco

    Muito boa a sua explicação, parabéns. Algo tão difícil de entender, e você conseguiu explicá-lo de forma didática. Muito bom.

  • ANA

    A SELIC é alterada de quanto em quanto tempo e como posso saber da sua alteração.

    • http://www.produzindo.net/ Bernardo Pina

      É atualizada mensalmente.

  • Dalcione

    Boa noite Bernardo!!!!!
    Parabens pelo blog.
    Faço administraçao e nunk entendi muito o setor financeiro
    mais depois do que li aqui esse mundo começou a me fascinar.
    Parabens mesmo.

  • Karen

    Obrigada pela explicação, foi muito útil. No entanto, tenho uma pergunta. No site do BC, é descrito que a taxa SELIC é “obtida mediante o cálculo da taxa média ponderada e ajustada das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais na forma de operações compromissadas”. É perfeitamente claro, mas como o COPOM pode simplesmente aumentar a SELIC (como foi o que aconteceu, foi aumentada de 9,50 para 10,25%), se a taxa é a média da quantidade de empréstimos interbancários efetuados, lastreados em títulos públicos? Eles não têm como fazer que haja mais empréstimos desses, até porque vai da necessidade de cada instituição financeira.

    • http://www.produzindo.net/ Bernardo Pina

      Karen, o que acontece é que há uma confusão aí causada pela mídia para simplificar a nomeação/explicação da taxa SELIC.

      A taxa que o COPOM altera é, na verdade, apenas uma META para a taxa SELIC. Alterando essa meta, eles conseguem alterar os juros gerais do mercado e acabam conseguindo fazer com que a taxa SELIC real se torne igual ou próxima à meta determinada por eles.

  • Juarez

    Porque a taxa selic brasileira e a mais alta do mundo?

    • http://www.produzindo.net/ Bernardo Pina

      Não tenho certeza, mas acredito que o fato do povo brasileiro ser um povo bem consumista influencia para o governo ter que aumentar a taxa básica de juros a fim de conter a inflação e o poder de compra da população.

      Antes que alguém possa comentar que a taxa de juros dos EUA é mais baixa, pare para pensar que a economia dos EUA é forte, mas muito frágil. O Brasil trabalha sempre para manter uma economia sólida, tal como pudemos observar no período da crise de 2008, quando o Brasil foi um dos países menos afetados pela crise.

  • Wilson

    Muito boa a explicacao e facil de entender.

  • Pingback: Desafio “Viajando no tempo”: 7 links interessantes | Produzindo.net

  • Fernando Couti

    Olá Bernardo, obrigado pela explicação, mas será que não há um interesse a mais no aumento da taxa Selic, porque veja bem, geralmente um investidor vai investir o seu dinheiro em ações de empresas, porém suponhamos que a remuneração de uma ação de determinada empresa esteja por volta de 6,5% e a remuneração de um CDB (certificado de depósito bancário), esteja por volta 10,25% como é a meta. Nesse caso para o investidor o CDB será mais atrativo, então pergunto. Será que o aumento da taxa básica de juros, não é uma maneira de se captar mais dinheiro para os bancos, através de CDBs? Apesar que com isso eles reduziriam seus empréstimos e financiamentos. Sei lá, é uma opnião. O que você acha?

    Obrigado!!!

    • http://www.produzindo.net/ Bernardo Pina

      Fernando, muito pertinente a sua pergunta.

      Antes de mais nada, é importante observar que a taxa média de remuneração de uma ação é mensal, e tanto a taxa selic quanto a meta da taxa selic são medidas em uma taxa ANUAL.

      Sendo assim, seriam 6% de rendimento ao mês das ações, comparados com 10% de rendimento ao ano do CDB. Ou seja… No decorrer de um ano, aquela ação terá rendido 72% enquanto o investimento em CDB terá rendido 10%.

  • Lorena

    Muito bom!! tirou todas as minhas duvidas!!

  • Escola de Mercadores

    Mercado imobiliário em 2014

    Nesse vídeo faço uma breve análise do mercado imobiliário nacional e regional baseado em dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – FIPE.
    http://bit.ly/1hYsaCl