por Marco Gomes (Boo-Box.comMarcoGomes.com)

Aporte de Capital de Risco é um tipo de investimento feito em uma empresa para fazê-la crescer rapidamente e multiplicar o investimento em pouco tempo. Muitas vezes este investimento é feito em uma startup, às vezes até uma idéia ainda não implementada, portanto há mais incerteza sobre o sucesso do negócio, por isso o risco :)

O empreendedor tem a idéia e capacidade de execução, o investidor tem recursos financeiros, experiência estratégica e networking pra alavancar o negócio. Um investimento saudável é uma parceria entre empreendedor e investidor, ambos devem ter capacidade de superar desafios com o objetivo comum de fazer o negócio dar certo.

Já percebeu que conseguir um investimento de capital de risco é o sonho de muitos empreendedores e “pessoas que têm idéias”? Esses já começam errado, investimento não pode ser sonho, precisa ser meio, ferramenta, caminho. O sonho deve ser fazer algo importante, rentável e altamente escalável.

Idéia e protótipo

“Papel aceita qualquer coisa” – Fábio Seixas, no Nerdcast #203.

A definição do que é uma boa idéia foge do escopo deste texto, mas idéia, sozinha, não sustenta um bom investimento. É importante ter uma maneira prática pra demonstrá-la.

A melhor maneira que conheço pra demonstrar um conceito é o protótipo funcional, que pode ser lançado publicamente ou demonstrado pra apenas algumas pessoas, mas é importante que ele seja usado pelo seu público-alvo, por representantes do mercado que você pretende abordar.

Quando e porque pegar investimento?

Durante o evento iMasters Intercon 2008, Daniel Heise — empreendedor profissional brasileiro e fundador da DirectTalk — disse que você só deve pegar investimento após ter um modelo de negócio funcionando, sua empresa precisa estar faturando algum dinheiro. Além do conhecimento e networking, uma das principais vantagens que o investidor traz pra sua empresa é tempo, o investimento pode fazer sua empresa viajar pro futuro.

Você deve pegar investimento se precisa fazer seu negócio ganhar escala rapidamente. Com investimentos em marketing, desenvolvimento de produto, equipe, você pode fazer sua empresa alcançar imediatamente um mercado que levaria anos pra atingir com crescimento orgânico.

É importante fazer sua empresa faturar algum dinheiro antes de pegar investimento. Se sem investidor você colocou seu produto na rua, já tem clientes comprando seu produto/serviço, sua empresa já tem faturamento, mesmo que uma pequena quantia, o investimento vai te ajudar a dar escala a esta fonte de receita.

 

Onde está o dinheiro?

No Brasil o investimento de Capital de Risco pode vir de diferentes fontes, Investidores Anjo, empresas de Venture Capital, Fundos de Investimento.

Independente da fonte do dinheiro, você deve sempre avaliar o investidor além da sua capacidade financeira, é importante o investidor trazer visão estratégica e networking pra alavancar o crescimento e sustentabilidade da empresa.

O investidor vai tentar me sacanear?

Se você não se sente confortável em conversar com um potencial investidor, levante da mesa e vá embora.

Tenha segurança que seu investidor está com você na missão de desenvolver o negócio e crescer no mercado. O investidor sabe que, pro negócio dar certo, você precisa estar motivado e sentir segurança, ele confia em você e está disposto a te entregar meio milhão de dólares pra testar um conceito que ninguém sabe se vai funcionar, você precisa confiar nele da mesma forma.

Já disse isso e vou repetir: Estamos falando de uma sociedade aqui, não é briga, é relacionamento. Todos precisam estar absolutamente confortáveis com tudo que está acontecendo. Se você não está disposto a abrir mão de 20% da sua empresa pra fazê-la crescer, esqueça o mundo dos investimentos e vá fazer tudo sozinho, é perfeitamente possível fazer uma empresa enorme sem investimento externo, mas tenha paciência, vai demorar mais.

Qual o valor do meu projeto?

Em negócios já estabelecidos, com faturamento anual e posição em mercado conhecido, o valor da empresa normalmente é um múltiplo do faturamento anual. Mas como responder esta pergunta para uma empresa que, muitas vezes, nem existe ainda, e, se existe, não provou o modelo de negócios e, muitas vezes sequer tem faturamento? Comece respondendo a pergunta:

“Quanto dinheiro você precisa pra fazer seu projeto dar certo?”

Uma das soluções comuns é fazer uma conta de chegada. Você primeiro prevê quanto dinheiro é necessário para desenvolver seu negócio, depois, calcula quanto esse valor vai influenciar seu negócio.

Se der errado, eu precisarei pagar o investimento de centenas de milhares de dólares?

Leia com atenção todos os contratos e não deixe qualquer dívida da empresa te afetar pessoalmente em favor de outros sócios.

Você e o investidor estão firmando uma sociedade, todos os sócios precisam estar dispostos a correr o risco e abraçar as consequências, sejam elas boas (e trabalhe dia e noite pra que elas sejam boas) ou ruins (e não deixe o fracasso te alcançar).

Como é feita a divisão de ações?

Em um investimento hipotético, suponhamos que você precisa de 200 mil dólares para provar o modelo de negócios da sua empresa, isso, segundo sua concepção, adicionaria 40% no valor atual da empresa. Fazendo uma conta de razão e proporção simples, concluímos que seu negócio atual vale 500 mil dólares. Se você conseguir o investimento de 200 mil dólares que almeja, a empresa valerá 700 mil dólares.

Nessa situação hipotética, após o investimento você controla a empresa, com 60% das ações, enquanto os investidores teriam 40% da sua nova empresa que agora vale 700 mil dólares.

Vamos fazer mais contas simples: você tem 60% de uma empresa avaliada em US$ 700 mil, isso representa US$ 420 mil, enquanto os investidores – que entraram com US$ 200 mil em dinheiro – agora controlam o equivalente a US$ 280 mil.

Notamos que nessa balança o dinheiro do investidor vale mais pra você que pra ele. Esse desequilíbrio acontece pois, teoricamente, se você não conseguir o investimento, seu negócio com valor de 500 mil dólares pode perder timing de mercado, passando a valer muito pouco, ou nada, em um curto período de tempo. Neste momento você depende do investidor mais que ele depende do seu negócio, entende? Agora é sua obrigação trabalhar dia e noite pra fazer sua empresa faturar bem e a balança se equilibrar.

É importante estar ciente que estes números são um “acordo” e não o valor real de mercado da empresa. Na prática, negócio sem faturamento sustentável não tem valor pra quem não está envolvido nele.

Na divisão inicial de ações a regra de ouro é o conforto, empreendedor e investidor precisam estar plenamente confortáveis com os números que acordam. Lembre-se que vocês estão se tornando sócios, não adversários, conflito e desconforto nessa fase da empresa só atrapalham. O foco deve ser sempre em desenvolver o negócio, não em brigas com números que ainda nem têm valor efetivo.

Onde posso usar o dinheiro?

O investimento acontece após a apresentação de um Plano de Negócios. Um documento-guia que diz onde você vai usar o dinheiro. Entre outras coisas o Business Plan descreve contratações, compra de equipamento, fusões e aquisições de outras empresas, investimentos em software e infraestrutura.

O dinheiro nunca é usado pessoalmente pelo empreendedor, pode parecer bobagem escrever isso aqui, mas muita gente pensa que o empreendedor pega US$ 5 milhões de investimento, coloca na conta bancária pessoal e vai curtir férias nas Bahamas. Não é assim, investimento sempre vem acompanhado de muito trabalho, noites em claro, esforço e cobrança interna e externa.

Pra otimizar o uso do investimento, o empreendedor se condiciona a receber muito menos que o padrão de mercado na remuneração de um executivo e quase sempre recebe menos do que recebia em seu emprego anterior. Você precisa estar disposto a receber o mínimo possível pra pagar as contas pessoais, inclusive usando seu patrimônio, como poupança, carro e imóveis, pra manter o investimento na empresa e não em sua vida pessoal. Cada Real que você tira da empresa hoje pra pagar suas contas representa milhões a menos em ações da empresa num futuro próximo.

É como disse o tio Ben: “Com grande poder vem grande responsabilidade”, lembre-se disso.

About The Author

Este texto foi escrito por um autor convidado. Você pode encontrar mais detalhes sobre ele (ou ela) ao final de cada texto. Se você também quer ter seus textos publicados por aqui, acesse a página "Escreva para o Produzindo.net" e saiba como você pode compartilhar suas idéias com nossa comunidade!