Em uma recente viagem a trabalho, conheci uma pequena cidade com cerca de 20 mil habitantes. Estávamos eu e mais um colega para visitar alguns clientes, mas em determinado momento meu amigo sentiu algumas dores e achamos melhor levá-lo ao hospital. Chegando lá ele foi logo atendido e eu o esperei na recepção. Enquanto o esperava, fiquei lendo algumas revistas, todas atuais por sinal, e um panfleto me chamou atenção, com o seguinte titulo: AGORA É VOCÊ QUE VAI NOS ANALISAR.

Olhando mais atentamente percebi que aquele panfleto se tratava de um questionário, com várias perguntas sobre atendimento, eficiência dos médicos, instalação e infra-estrutura do hospital. Isso me fez refletir sobre o quanto hoje as organizações estão se profissionalizando, sejam elas pequenas ou grandes, desde um hospital como esse, até um clube recreativo.

No caso deste exemplo, me surpreendeu o fato do hospital se preocupar com seu cliente, de desenvolver uma ferramenta para saber se foi bem atendido, se houve demora, ou se sentiu-se à vontade no estabelecimento. Muitos médicos conservadores ainda veem o hospital como uma instituição que apenas trata da saúde. Com certeza o foco do hospital é essencialmente a saúde, mas por que não organizar esse objetivo juntamente com ferramentas administrativas? Isso irá aumentar a credibilidade da instituição e o cliente percebe que pode ser ouvido se tiver alguma reclamação a ser feita.

Esse exemplo serve de parâmetro para que algumas empresas entendam que hoje o mercado está mais competitivo, mais globalizado, e que já passou aquela época em que o cliente simplesmente aceitava um produto ou serviço.

Hoje os consumidores estão mais exigentes, querem qualidade pelo que estão pagando. Muitas empresas já perceberam isso, mas as que vivem no passado correm o risco de saírem do mercado caso não mudem de atitude.

About The Author

Cursando faculdade de Administração de Empresas pela FACER, atua na área administrativa e docência dentro do Terceiro Setor. Tem experiência com divulgação, publicidade, marketing Digital, docência e gestão no terceiro Setor. Também é autor do blog Liberdade Testada e Vale Empreender.

2 Responses

  1. Eventos Net

    Legal a idéia, com certeza se tivessem colocado esse questionário em um sufite cortado com régua no balcão, não surtiria o mesmo efeito.

    É muito importante usar essas “ferramentas” para ter o feedback do cliente, só que mais importante ainda é saber analizá-las e corrigir as falhas encontradas com o questionário.

    Pela criatividade da empresa, com certeza sabem bem fazer isso.