No último texto comecei a falar sobre o planejamento financeiro de uma viagem. Falei  sobre a necessidade de se preparar um orçamento básico da viagem, para descobrir quanto é necessário ter em mãos para realizar seu sonho, e comecei a elaborar o assunto a partir dos meios de transporte envolvidos na viagem.

Hoje, vamos falar de hospedagem. Da mesma forma que fizemos no outro texto, ainda não vamos discutir como escolher a sua hospedagem: isso será feito em um próximo texto. Hoje vamos fazer considerações sobre os tipos de hospedagem disponíveis, para que você possa escolher qual é a melhor opção baseado nas suas condições financeiras e no perfil dos envolvidos na viagem. 

Tipos de hospedagem

Assim como os transportes, as possibilidades de hospedagem são bem variadas. Cada uma tem seus aspectos positivos e negativos,  variação de custo, conforto, etc. Tanto para viagens nacionais quanto internacionais, acredito que as opções principais ficariam entre as seguintes:

  • Casa de parentes/amigos
  • Albergues
  • Pousadas
  • Hotéis

Em todos os casos, obviamente, você deve estar preparado financeiramente.

Casa de parentes/amigos

Pode ser a mais barata das opções, mas não é por isso que é de graça!

Manda a boa educação que você ajude com as despesas da pessoa que está te recebendo. Entenda que a pessoa está assumindo gastos ao te receber e é muito provável que ela não aceite que você faça um ressarcimento formal, em dinheiro, por isso. Você pode combinar previamente com a pessoa, caso tenha intimidade o suficiente para isso. E caso a pessoa não aceite, ainda assim, existem pequenas gentilezas que você pode fazer.

Calcule primeiramente o custo que você e seus companheiros de viagem representam aqui. Inclua nos seus cálculos alimentação, luz, água, telefone, e tudo mais que você achar que vai representar um acréscimo às contas da pessoa que está te recebendo. Para fazer esses cálculos, minha dica é a seguinte: descubra quanto você custa para você mesmo. Calma, vou explicar mais detalhadamente!

Some suas despesas de supermercado, luz, água, gasolina e telefone mensais (nesses dois últimos casos, apenas se você for utilizar o carro da pessoa, com ou sem ela, e o seu telefone). Divida este valor por 30. Este é o seu custo diário para você mesmo. Atenção: para supermercado, considere apenas o custo das refeições que você pretende fazer na casa da pessoa. Se for só o café da manhã, considere apenas isso, por exemplo.

Multiplique este custo diário pelo número de dias que você vai passar na casa da pessoa. Este é o valor que você deve considerar para ressarcir à pessoa que está te hospedando. Se mais pessoas estiverem com você, multiplique o valor pelo número de pessoas.

Novamente, dificilmente uma pessoa vai abrir a porta da sua casa e aceitar o ressarcimento… Mas pode acontecer! Esteja preparado!

Caso a pessoa não aceite, é de bom tom que você ofereça um presente ou até mesmo um jantar de despedida! Uma boa faixa de preço a se considerar para o presente e/ou jantar é o valor que você calculou aí em cima.

Albergues

Também entre as mais baratas das opções, os albergues exigem um bom planejamento de viagem para que o sonho não se transforme em um pesadelo. Quando começarmos a falar sobre como escolher sua hospedagem, darei mais dicas sobre como escolher um bom albergue. Mas para fins de planejamento financeiro basta que, incialmente, você tenha os contatos de um albergue. Dois sites interessantes para pesquisar albergues são o http://www.albergues.com.br/ e o http://www.hihostels.com/.

Sabendo seu destino, é só calcular: valor da diária multiplicado pelo total de pernoites no albergue e pelo número de pessoas que estão viajando com você.

Lembre-se que, dependendo da antecedência com que você está planejando sua viagem, os preços podem variar. Então, sempre calcule este orçamento com uma pequena “margem de segurança” para evitar surpresas.

Outra coisa: alguns albergues cobram pelo uso de utensílios e eletrodomésticos (secador de cabelos, por exemplo!!!) ou até mesmo por alguns espaços. Esteja preparado para este tipo de gasto no seu orçamento, fazendo uma boa pesquisa nos sites e entrando em contato com os administradores de cada espaço que te desperte o interesse.

Pousadas

Um pouco mais formais do que os albergues e um pouco menos formais do que os hotéis, as pousadas são uma boa opção tanto para quem viaja sozinho ou em pequenos grupos.

A maneira para se realizar o orçamento deste tipo de hospedagem se assemelham bastante à dos albergues. Com uma única diferença: recomendo que você acesse o site da cidade para onde você deseja ir! Geralmente, as cidades (principalmente as turísticas) fazem parcerias com as melhores pousadas da região. Lá, você pode encontrar uma lista de boas pousadas e os links para seus próprios sites. Assim, você faz uma pesquisa de preço mais completa e pode planejar o seu custo de hospedagem. Lembre-se: você não vai escolher uma pousada agora!!! Essa etapa é só para que você tenha uma noção de quanto a sua viagem vai custar! Até a escolha da sua hospedagem definitiva, ainda temos muito chão a percorrer!

Hotéis

Das opções de hospedagem, geralmente é mais cara, e talvez (talvez!) a mais confortável. Para fazer um bom orçamento de hotel, leve em consideração as mesmas dicas de escolha de pousadas. Mais adiante, falaremos sobre dicas para escolher um bom hotel, levando em consideração, inclusive, possíveis convênios firmados com cartões de crédito, etc.

Neste momento, preocupe-se em fazer uma pesquisa de preços e de estrutura para ver se os quartos comportam a quantidade de pessoas que vão viajar com você. Se, por exemplo, você uma esposa e três filhos pequenos, é provável que queira que todos fiquem juntos no mesmo quarto, e não é todo hotel que comporta essa quantidade de pessoas em apenas um quarto. Se não comportar, você precisará de dois quartos e terá que considerar duas diárias por cada dia que ficar no hotel, e precisará considerar isso no seu orçamento.

Anotando os valores

Descobriu seu “número da sorte” para o orçamento de hospedagem? Anote!

Sugiro que você comece uma planilha para anotar todos esses valores. Não se assuste se esse valor começar a parecer muito acima da sua realidade. Sonhe na medida do seu sonho! Não escolha nada por ser mais barato: nosso objetivo é fazer com que você se planeje para organizar a viagem dos seus sonhos. Se necessário, futuramente você pode adaptar os valores.

No próximo texto vamos falar sobre como calcular seus gastos com alimentação no seu período de viagem! E só de falar eu já fico com água na boca…

About The Author

Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília (UnB), atua nas áreas de gestão da qualidade e gestão da informação desde 2006. Interesse em gerência de projetos, gestão do conhecimento, sistemas de gestão da qualidade, biblioteconomia, restauração de documentos e (claro!) livros e literatura. Muito abrangente? É o poder do profissional bibliotecário, que funciona de A a Z.