Essa é uma pergunta muito comum para muitas pessoas. Os formandos de segundo grau são os que mais a vivenciam, pois essa é a época de suas vidas que estarão ingressando no seu primeiro curso de faculdade.

Descobrir a sua vocação não é uma tarefa fácil, mas existem algumas coisas que você pode fazer que irão auxilia-lo no processo. Quero hoje promover alguns questionamentos que, na euforia do processo, podem acabar não vindo à sua mente. Veja abaixo:

  1. No segundo grau, você gostava mais de matemática ou português?
    Essa pergunta ajuda muito quando você está sem nenhum rumo.
    A partir dela, é possível especular qual é a tendência de uma pessoa: humanas e exatas. Se seu foco for para a área de humanas, é bem possível que você goste mais de português. Se for mais para a área de exatas, matemática. Dessa forma é possível restringir a gama de opções.
    É claro que temos um furo aqui, pois pessoas da área de saúde podem ter inclinações para qualquer uma das duas áreas citadas acima e ainda assim, ter vocação para a área de saúde. Mas se você sabe que não quer um curso voltado para essa área, esse questionamento lhe será bem útil.
  2. O que você realmente gosta de fazer?
    Cada pessoa tem a sua preferência sobre as suas atividades de lazer. Essas atividades, na minha humilde opinião, são responsáveis pela escolha de muitas pessoas. Pense no que você realmente gosta de fazer, se imagine tendo que fazer isso para outras pessoas e descubra se você vai ter paciência.
  3. O que você faz bem feito?
    Se a pergunta acima não soluciona seu problema, pense também nas coisas que você faz bem feitas. Num trabalho, nossos superiores desejam que as atividades sejam cumpridas da melhor forma possível e com a maior rapidez possível. Se você já faz alguma coisa bem feita, você já terá um grande diferencial na concorrência.
  4. O que você deveria fazer para mostrar quem você é realmente?
    Creio que essa pergunta passou e passa pela cabeça dos grandes artistas. O ideal da arte é transmitir a outras pessoas, quem você é e o que você pensa sobre determinados assuntos. Se algum dia essa pergunta passou pela sua cabeça, pense com carinho em alguma forma de arte, pois sua vocação pode estar lá.
  5. Do que o mundo precisa?
    Para os mais idealistas, o que realmente importa é melhorar o mundo. Existe muito que ser mudado e, auxiliado pelas perguntas acima, pense no que você pode fazer para melhorar a vida das pessoas à sua volta.

Minha proposta aqui não é fazer um teste vocacional. Quero apenas instigar sua mente a funcionar de maneira eficiente para que você possa fazer a escolha certa para a sua vida.

Se você já passou por esse processo, conte para nós como você tomou essa decisão!

About The Author

Empresário (CEO da agência de comunicação PIBIT) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

  • http://danieldocki.com Daniel Docki

    No segundo grau, você gostava mais de matemática ou português? matemática
    O que você realmente gosta de fazer? Tecnologia, adoro estar por dentro, agora comecei a desenvolver um site e pretendo usar com o sistema Drupal (eu sempre levei isso como um hobby, mas é isso mesmo que eu gosto de fazer), até comprei 4 livros sobre PHP e já li 2 deles
    O que você faz bem feito? Realmente como eu disse, aqui aonde eu trabalho, aonde eles precisam de um material bem bolado, eles me procuram e sempre gostam do que eu tem feito
    O que você deveria fazer para mostrar quem você é realmente? Ah concerteza, seu criar um sistema em php (nunca criei um ainda) e ser util
    Do que o mundo precisa? Como faz um ano que descobri o software livre, eu creio se criar um sistema voltando a educação, seria muito bom para mim e para todos que usarem eles

    E ai, estão respondidas??? hehehehe
    Eu sei o que eu quero, mas já entrei em faculdades e larguei, tudo isso questão de 2 semestre e caio fora :S mas a que eu realmente deveria começar é Sistema de Informação eu nunca comecei, estou até preocupado comigo…perdido é apelido para mim…

  • http://www.navegandosonhos.blogspot.com Rodrigo Sax

    Na verdade esse modo de pensar pode ter levar a armadilhas. Inclusive, fiz vários testes vocacionais (e ainda não sei o que farei, no terceiro ano de faculdade de jornalismo). O grande perigo deste tipo de teste é que se você estiver entusiasmado com alguma área ou projeto, o teste o conduzirá a isso, mesmo que não seja sua verdadeira profissão.

    Por exemplo: Se você está montando um vídeo com um amigo e de repente você ganha visibilidade na sua rua, há uma grande chance do teste indicar que é essa a sua área, mesmo quando não é isso que é a sua vocação a longo prazo.

    O melhor teste é o inverso: O que você não gosta de fazer. Perguntas como “Eu me vejo no futuro sentado em um escritório, ou no campo, ou falando em público?”
    O que eu realmente nunca serei? (no meu caso, médico ou qualquer coisa relacionada a medicina).

    No quê eu não quero ter talento algum? (Isso exclui áreas que você gostaria de saber mais mas não consegue, no meu caso eu nunca quero entender como funciona o corpo humano, por exemplo).

    Por quê tudo isso? Há muitas pessoas (eu sou o melhor exemplo que conheço disso) que são talentosas em nenhuma área específica, mas flertam com diversas coisas, e nesses casos é difícil escolher um caminho. Enquanto faço jornalismo e escrevo bastante, adoro design, tecnologia e programação. Complicado, né?

  • http://danieldocki.com Daniel Docki

    Credo Rodrigo….

    Agora você vai deixar louco, AUHAuAHuaha
    Você disse tudo o contrario do que eu já tinha visto….mas eu acho válido a sua posição…hehehe

  • http://www.bernardopina.net/ Bernardo Pina

    Realmente pensar de forma contrária também ajuda… Mas te faz descobrir o que voce nao quer fazer. O objetivo do artigo é descobrir o que você gostaria de fazer na sua vida! =)

  • http://www.navegandosonhos.blogspot.com Rodrigo Sax

    Bom, minha mãe trabalhou um tempo como orientadora vocacional… Ela me explicou que varia de pessoa para pessoa. Mas para os mais confusos e perdidos, o melhor mesmo é ir eliminando opções.

    Uma coisa que ajuda muito: ir atrás e conhecer de verdade o dia a dia de uma profissão, falar com quem trabalha na área, etc. Muitas pessoas têm uma visão ou distorcida ou muito parcial das profissões.

  • maili

    Bem, posso acrescentar que a fase do ensino médio realmente é a pior, digo por experiência própria, pois eu queria fazer psicologia mas não entendia a mim mesma, gostava de gastronomia, porém odiava cozinhar para muitas pessoas, nisso meu pai pediu que fizesse contabilidade e só depois de quatro anos então descobri que tinha vocação para direito… um longo caminho, mas cheio de descobertas e aperfeiçoamento…

  • http://www.dinheirama.com Navarro

    Sugiro que leiam o novo livro da Penelope Trunk chamado “Brazen Careerist”, ainda sem tradução para o português, onde ela discorre sobre a escolha da carreira e a mudança no perfil dos profissionais das gerações X e Y (pessoas que hoje têm entre 18 e 40 anos). Ótimo livro!

    • http://www.bernardopina.net/ Bernardo Pina

      Boa dica, Navarro. Vou procurar esse livro para ler!

  • Clara Aguiar

    oi pessoal;
    Queria muito que vocs,me orientassem, como criar – pois eu tenho um progeto em mãos, mais queria passa-lo para um programa daquele de hospitais, ou mercados, que o usuario abre e acesse, tenho tudo já bolado,só não sei fazer como? Eu adoro saites,software e programação. Queria me expecializar nessas áreas, como vocs, me orientariam, onde posso está me especializando.
    amei em participar com vocs, obrigada,e sem mais..

  • Clara Aguiar

    Oi pessoal;
    Queria muito que vocs me orientassem, como criar um software, não sei bém.
    Pois eu tenho um progeto em mãos, mais queria passa-lo para um programa daquele de hospitais, ou mercados, que o usuário abra e acesse, tenho tudo já bolado,só não sei fazer como? Eu adoro saites,software e programação. Queria me especializar nessa área, como vocs, me orientariam, onde posso está me especializando.
    amei em participar com vocs, obrigada,e sem mais..

  • Renan Bianchini

    Oie galera, Me ajudem por favor, Tenho 18 anos acbei de terminar o enssino medio, E nao tenho hobbie nenhum, a unica coisa que eu gosto mesmo e carros. E estou muito perdido, ja fiz diversos tipos de testes vocacionais, e a cada teste fico mais perdido,ja pensei em fazer Publicidade, direito, e relacoes internacionais, engenharia civil, o problema e que os cursos que eu tenho em mente sao muito diferentes uns dos outros.
    – Eu creio que relacoes internacionais esta em primeiro plano pq eu no momento estou morando fora do paiz, estou residente na belgica, e aki eu estou com mais duvidas ainda pq. aki que dar dinheiro e a construcao civil, e publicidade, e como sabemos essas duas areas no brasil esta praticamente saturadas,e eu quero voltar para o brasil e tenho medo de me forma em alguma dessas, e nao consseguir o que eu quero, Aceito qualquer dica.
    Obrigado pela atencao ae vai o meu E-mail renan_nrb@hotmail.com “ ME AJUDEM“

  • katia

    Ola pessoas, eu sempre amei matematica e mecanica fiz varios cursos e por uma perda muito grande optei para fazer enfermagem na faculdade to amando aprender a lidar com doentes, e hoje em dia eu paro e fico pensando se nao fosse esta grande perda eu estaria perdida, quem que fazer alguma coisa na faculdade tem q pensar muito no dinheiro q nao sera jogado fora, pois aqui ondi eu moro as facul sao muito caras… e ficar atentos nos minimos detalhes pois as vezes eh isso q nos torna um grande profissional…

    boa noite para todos

  • Thomas

    Algo que aprendi é que você é capaz de gostar de qualquer coisa. Comigo é assim e percebo que com muitas outras pessoas tambêm é. Se você não gosta de algo é porque pode não estar olhando aquilo do ponto de vista certo, do ponto mais interessante para você.

    No meu caso sempre odiei exatas, era um verdadeiro mongoloide para resolver contas básicas, isso no primeiro grau e no segundo. Adorava filosofia e humanas em geral. Até que comecei a estudar lógica dentro da filosofia e ai entao me veio uma especie de insight sobre as ciências exatas, passei a ve-las de um ponto de vista novo… O resultado? Gostei tanto que estudei e aprendi da maneira certa, passei a ter preferência pelas exatas e hoje sou engenheiro!

    abraço