(*) Atenção! Este artigo é uma tradução de um artigo do Management Craft: When it is time to move on?.

Esses tempos, uma amiga minha estava se perguntando se deveria procurar por outro emprego, se essa é a hora de seguir em frente. Essa é uma decisão difícil, particularmente se você tem uma família para cuidar e precisa de estabilidade/segurança. O negócio é o seguinte:

  1. Todos nós temos nossos dias difíceis, talvez até um mês difícil. Mas quando você está se sentindo sem inspiração e sem entrosamento já a um certo tempo, sua mente e coração já se decidiram. Agora é com você perceber, aceitar e tomar alguma atitude em relação à isso.
  2. Tomar uma atitude significa procurar por outro cargo/setor dentro da sua empresa ou ainda procurar outra empresa para trabalhar. No caso dessa minha amiga, como ela não tinha nenhum outro lugar para ir internamente, ela começará a procurar outra empresa para trabalhar.
  3. É importante diferenciar a necessidade de mudança da visão “a grama é mais verde em algum outro lugar”.
    • Necessidade de mudança
      • Você não sente que está crescendo;
      • Você não consegue ver que a situação irá mudar no futuro;
      • Você não sente que seu trabalho é desafiador;
      • Você tem interesses que não podem ser explorados no seu trabalho atual;
      • Você quer ter uma mudança na sua carreira.
    • “A grama é mais verde em algum outro lugar”
      • Se você sair, você irá procurar o mesmo emprego em outro lugar;
      • Suas frustrações e preocupações são as mesmas independente do lugar onde você esteja;
      • Você tem um idealismo à respeito de uma empresa. Se o seu desejo de mudança é mais por causa da empresa do que do trabalho, sugiro que você tome cuidado;
      • Você está no mesmo cargo a menos de dois anos.

Minha amiga está no mesmo cargo já a alguns anos e não está mais aprendendo nada, nem crescendo. Não participa de nenhum grande projeto ou iniciativa que a incentive a continuar. Essa é a hora de seguir em frente.

Se você tem um trabalho e está determinado em mudar de emprego, você deve ser honesto consigo. Quando nós precisamos de um trabalho em particular, é provável que falhemos em satisfazer a empresa e o cargo. Nós focamos em receber uma oferta e aceita-la. Mas quando nós, proativamente, seguimos em frente, precisamos assegurar que estamos procurando por nossos interesses e necessidades.

  1. Pelo que, realmente, você está procurando? Que tipo de trabalho te atrai? Você quer gerenciar programas ou pessoas? Ou ambos?
  2. Que tipo de empresa mais te agrada? Você gosta de empresas grandes (rápidas e competitivas) ou pequenas (mais vagarosas)?
  3. Que tipo de chefe mais se encaixa no seu estilo?

Faça a si mesmo as perguntas que o ajudarão a encurtar a sua busca. Deixe claro na sua cabeça o porquê é a hora de mudar e fique em tranquilo com essa decisão.

Mais uma coisa. Todos nós já ouvimos sobre profissionais que nunca param quietos em um lugar, certo? Isso é o que acontece quando estamos sempre procurando por novos empregos. Nosso cérebro sofre de desencorajamento pré-maturo. Nossas mentes estão apenas na metade de sua capacidade. Não tem jeito, algum dia todos nós vamos conhecer profissionais desse tipo. Uma técnica que eu tenho usado e tem me ajudado, foi resolver deixar o meu trabalho o mais organizado e com mais classe possível. Se foque em deixar o departamento em melhor estado do que ele estava quando você entrou nele, afinal, isso você já deveria estar fazendo. ;)

Em um trabalho, eu falei para o meu gerente (vice presidente), que eu iria começar a procurar um outro local para trabalhar e que ele deveria começar a procurar alguém para me substituir. Eu sabia que levaria mais de duas semanas para encontrarem alguém e quis ajudar a empresa a treinar o novato. Sei também que essa atitude tem riscos, mas eu tinha uma relação bem aberta e no final, acabou tudo muito bem. Eu fui sinceros sobre as entrevistas que eu estava indo fazer e mantive meu chefe informado sobre meu progresso. Foi um alívio não ter que me esconder pedindo dias de férias para ir às entrevistas. Não recomendo isso para ninguém. O legal disso tudo foi que, uma vez que eu decidi seguir em frente, compartilhar isso com meu gerente tornou tudo mais claro e definido, sem volta! Isso é bom porquê muitas vezes, nos comprometemos com uma coisa mas acabamos fazendo o que é mais confortável e seguro (ironicamente, normalmente é menos confortável e mais arriscado ficar).

Como sabemos que é hora de seguir em frente?

Eu trabalho em meio-período já a algum tempo e estive pensando se algum dia eu iria aceitar novamente algum cargo de período integral. A resposta é: depende. Eu simplesmente decidi considerar apenas cargos que são muito legais. Não é tudo que gira em torno do dinheiro (apesar de ser muito bom) e eu estou muito bem com essa decisão. Sempre temos nossos altos e baixos, mas eu prefiro isso do que ter um emprego que não me agrade.

About The Author

Empresário (Diretor de Operações da Data Power Team) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

Related Posts