Essa palavra tem estado cada vez mais na boca do povo, principalmente das grandes empresas e corporações. Mas afinal, o que é isso? Muitas pessoas acabam adquirindo um conceito errado de sustentabilidade, muitas vezes por explicações não tão claras tais como o que eu achei no Wikipedia:

Sustentabilidade é um conceito sistêmico, relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana.

“Ok, agora traduz para mim.”

sustentabilidade-01-thumbA sustentabilidade preza a eficiência das coisas do presente sem prejudicar a eficiência das coisas no futuro. Ou seja, se produzimos algo hoje, temos que arranjar uma forma de produzi-la sem que isso gere impactos negativos para a produção no futuro (curto a longo prazo). Segundo o Relatório de Brundtland (1987), sustentabilidade é: “suprir as necessidades da geração presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprir as suas”.

Legal, não? O problema é que quando pensamos em “viabilizar a produção no futuro”, muita gente associa o conceito de sustentabilidade à preservação ambiental. Apesar de englobar essa questão do meio-ambiente, não se trata apenas disso. Existem vários aspectos a serem observados. A meu ver, a sustentabilidade tem muitas questões de ética profissional e ambiental misturadas com métodos eficientes de produção.

“Ética, Bernardo? Nunca pensei em associar sustentabilidade com ética. Explique-se!”

Podemos fazer essa associação em vários pontos. Veja abaixo alguns pontos relacionados à ética e aos métodos de produção:

  1. Aspecto ambiental (Ética)
    Você acha justo nós consumirmos os recursos do meio-ambiente sem renová-los? Ou pior, consumir os não renováveis? Como irão ficar as nossas futuras gerações?
    Hoje, a nossa sociedade está se importando cada vez mais com isso. Na minha humilde opinião, esse senso vem da ética que temos.
  2. Aspecto econômico (Produção)
    O objetivo de toda empresa/corporação é gerar lucro, certo? Toda empresa tem que se preocupar com o aspecto financeiro, em como gerar mais dinheiro do que gastar. Existem várias formas de se fazer isso, mas só para exemplificar vou citar um exemplo de sustentabilidade econômica que eu vi em algumas empresas que eu já trabalhei.
    Eu sou analista de sistemas e trabalhei em algumas fábricas de software que forneciam blocos para anotações feitos com papéis que iam para o lixo. Sabe aquele papel que nós imprimimos somente a frente e que depois de uma semana íamos jogar fora? Pois é, junta-se um maço de papéis desse tipo e faz-se um bloco de anotações. Essa é uma forma de economizar dinheiro e de evitar que mais árvores sejam derrubadas à toa.
  3. Aspecto social (Ético)
    O aspecto social da sustentabilidade se foca no bem-estar das pessoas. Se nos preocuparmos com isso, essas pessoas tendem a ser pessoas melhores e a pensar da mesma forma que nós.
    Nos preocupando com os nossos funcionários, por exemplo, incentivamos eles a serem da mesma forma com seus empregados (por exemplo, empregadas domésticas, jardineiros, …), com seus amigos, com seus conhecidos, etc.
    Isso fora que empregado feliz faz a empresa lucrar mais. ;)
  4. Aspecto cultural
    A cultura é fundamental para as nossas vidas. Quando falamos em cultura aplicada à sustentabilidade, nos perguntamos que tipo de incentivo cultural a sua empresa dá para os funcionários?
    Ainda vejo muito poucas empresas se preocupando com isso, mas acho muito legal quando vejo (sim, acredite… eu já vi!) algumas empresas premiando funcionários com viagens, livros e entradas para cinema/teatro. Além de incentivar o funcionário a trabalhar mais para ganhar os prêmios, você está contribuindo para que o funcionário se torne uma pessoa mais culta e mais inteligente. E com isso, creio que nosso senso ético aumente e todos os outros aspectos acima sejam beneficiados.

Ser sustentável é um meio de vida, tanto no aspecto profissional quanto no pessoal. Colocando a parte o lado profissional, o que você faz na sua vida para ser sustentável?

About The Author

Empresário (Diretor de Operações da Data Power Team) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

Related Posts

4 Responses

  1. Baduel

    Interessante ,observar esta expressão desta maneira….

  2. Vania Marques

    Olá, Bernardo,
    Parabéns pelo seu artigo! Não é comum as pessoas associarem sustentabilidade e ética, principalmente de forma tão clara e didática, como você fez. Dou aulas de ética e procuro aplicar os conceitos a diversos campos, como meio ambiente, finanças (inclusive pessoais), cultura, etc.
    E meus alunos concordam: ética e sustentabilidade tem tudo a ver!
    Vânia

  3. alessandra

    Olá, adorei seus comentários sobre sustentabilidade, até então ligava muito ao meio ambiente através do que disse conseguir ter uma visão bem mais ampla, engloba muito mais do que eu tinha em mente. valeu…