Este é um artigo do blog lifehack.org, traduzido e adaptado por mim. Gostei muito da idéia e da analogia do texto e quis compartilhar com vocês. 

Não é brincadeira! A idéia desse post veio quando via anúncios do último filme da série “Piratas do Caribe”. Me lembrou de um tema que existe em todos os filmes de piratas e que pode ser aplicado ao mundo dos negócios.

Um pirata não é o seu barco

Piratas são os cães do submundo. Muitas vezes tem um navio de qualidade menor (ou produto, ou serviço) e para compensar, tem que ser mais criativos e mais inteligentes ao lidar com seus oponentes. Eles vêem seus navios como um meio de derrotar o oponente, capturando ou afundando os barcos inimigos. E você? Como você vai atrás dos seus inimigos?

Piratas são rápidos

Devido à maioria das suas embarcações terem sido roubadas ou “adquiridas”, piratas normalmente têm embarcações menores e rápidas. Mas como faltavam grandes armas, normalmente acabavam destruídos. Flexibilidade acaba sendo um dos pontos principais nos negócios de um pirata, flexibilidade casada com esperteza e adaptabilidade.

Piratas são um time

Na pesquisa para criar este post, fui surpreendido ao descobrir que os capitães dos piratas não tinham a palavra final, como mostram os filmes. Na verdade, a maioria dos navios de piratas eram comandados democraticamente. O capitão fica com mais ou menos metade do tesouro, mas sua palavra não carrega nenhum peso a mais em votações oficiais da tripulação. No mundo dos negócios, o CEO é visto como o líder, mas a organização só funciona quando todos participam. A analogia se quebra um pouco quando tento imaginar meu CEO andando sobre uma prancha, mas diretores bravos com a performance do CEO caem (piadinha horrível) muito bem nesta cena.

Os saques e perseguições dizem respeito unicamente aos resultados. Eles não são pagos se não derem duro no trabalho. Se você é um pirata, você está se empenhando para atingir grandes metas. Há perigos, riscos e várias formas do trabalho não dar certo.

O único ponto negativo que eu encontrei nessa história toda é que os piratas são terríveis ao organizar suas informações. Alguma coisa ruim havia de ter, não?
Texto meio anormal, eu admito, mas às vezes algumas idéias nos pegam e nos movem para outros ângulos que não tínhamos considerado antes. E então? Você é um pirata ou é a presa?

About The Author

Empresário (Diretor de Operações da Data Power Team) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

4 Responses

  1. Rodrigo

    Gostei bastante do artigo, só um pequeno adendo:
    É mais interessante citar a origem do artigo no começo, pois o li inteiro achando que era seu. Principalmente porque no leitor de RSS (google reader), apareceu “por: Bernardo Pina” logo abaixo do título…
    Coisinhas chatas da vida. =)
    Não sei se seria um bom pirata, não gosto de rum.

  2. Gustavo Periard

    Bom texto e boa analogia com os negócios!!
    Sempre qualidade por aqui né Bernardo?! =)
    continue assim!!

    Abração!!

  3. PR

    olá…
    Toda a pirataria está em constante mutação,e assim obriga a desenvolver a criatividade dos acomodados…
    Abração!!