Foi o frei Luca Paccioli (também chamado de “o pai da contabilidade”), no século XV, que criou o conceito de capital social. Esse conceito perdura até hoje, apesar de muitas pessoas terem uma idéia errônea a seu respeito.

Naquela época era uma prática comum confiscar todos os bens (animais, casa, móveis, poupança, etc.) de uma pessoa que não pagasse suas dívidas. Quem confiscava esses bens era os juízes e os próprios credores. Nessas condições, só um louco se arriscaria a abrir uma empresa focada em produzir e gerar empregos para outras pessoas.

Com a chegada do conceito de capital social, o cenário mudou. O que antes parecia um absurdo se tornou realidade. Agora a responsabilidade da empresa ficaria ligada somente ao seu capital social, excluindo todos os bens dos donos das empresas.

Agora sem medo de perder tudo se o seu negócio não desse certo, as pessoas começaram a produzir não só para si mesmas, mas também para os outros. E como produzir para si e para os outros exigia mais das pessoas do que elas podiam dar, surgiu à necessidade de agregar mão de obra. Empregos começaram a surgir. Era o início de tudo…

“Mas afinal, qual é o conceito de capital social?”

Stephen Kanitz, formado em Administração de Empresas pela faculdade Harvard, diz: “Capital social é o capital que os acionistas oferecem à sociedade para garantir que empregados e fornecedores recebam no final do mês. Diferentemente do que se ensina o capital não pertence aos acionistas, e sim à sociedade – daí o termo ‘social’ “.

Por causa disso, contadores e técnicos contábeis classificam o capital social como “não exigível” já que nenhum acionista não pode exigir de volta o seu investimento enquanto a companhia existir. O que é possível fazer é torcer para que exista outra pessoa interessada em adquirir esses papéis. Assim surgiu o pregão da bolsa de valores.

Esse é um pouco da história do surgimento do direito comercial. Saber o que é capital social é o mínimo que uma pessoa tem que saber se quiser abrir uma empresa.

Estou preparando alguns artigos que irão explicar um pouco mais da formação de empresas. Este foi apenas o primeiro artigo.

Comentários, sugestões e perguntas são bem-vindos. Para entrar em contato comigo, utilize o formulário de contato.

Fonte: Editora Abril, Revista Veja, edição 1951, ano 39, nº 14

About The Author

Empresário (CEO da agência de comunicação PIBIT) e consultor de tecnologia da informação e comunicação digital, é o fundador e editor do blog Produzindo.net. Se dedica a essa atividade pela paixão que tem pelo lema que tomou para a sua vida: “aprender para ensinar”.

  • Pingback: Sociedade limitada – O que é e como funciona? | Produzindo.net

  • http://www.ig.com.br Leonildo Rodrigues Alves

    Informação: É muito importante, para dar início a um trabalho. Em que época surgiu o diploma, formação superior, a necessidade da apresentação desse título.

  • Aleks

    Na minha opinião, ótimo artigo.

  • João Paulo

    Parabéns pelo artigo! Muito importante conhecer a origem dos conceitos aprendidos na faculdade. Sem dúvida esse site é uma ótima fonte de fixação de conhecimento e pesquisa.

  • Pingback: Sociedade Anônima - O que é e como funciona? | Produzindo.net

  • Pingback: Pai rico, Pai pobre: Ensinando o que os ricos ensinam aos seus filhos | Produzindo.net

  • Edkleyson Silva

    Desde já quero lhe parabenizar pelos otimos artigos que você vem desenvolvendo e qua acima de tudo vem dirimir dúvudas de banco de faculdade acho isso otimo parabens mesmo.

    Quero também lhe pedir uma ajuda, sou gestor de produção de uma empresa em manaus e gostaria de receber ou até mesmo conversar com você para adquirir algumas dicas.

    obrigado

    Edkleyson Silva

    • http://www.bernardopina.net/ Bernardo Pina

      Você pode entrar em contato conosco através do formulário de contato clicando aqui. Sinta-se a vontade para fazer as perguntas que desejar.

  • martin

    Muito bom o artigo! Linguagem clara e objetiva, sem as terminologias que nós estudantes não estamos habituados. Parabéns!

  • Everson

    bom tenho uma empresa com um sócio sendo que ele tem 75% e eu 25% .
    A pergunta é a seguinte vamos comprar novos equipamentos, porem não vamos pagar com os nossos recursos próprios, o próprio equipamento será pago por seu trabalho.no meu ver se nos fossemos pagar eu teria q pagar 25% e ele o restante, mais neste caso vamos fazer um financiamento pela empresa onde com total certeza o equipamento se paga. como fica isto? em relação aos percentuais dos sócios.

  • maax

    adooorei o artigoo

    me ajudou mtoo em um trabalho de facul

    vlw

  • dias

    o conteudo é muito bom deveriam publicar mais esse assunto nos outros sites